09/01/2020 às 07h40min - Atualizada em 09/01/2020 às 07h40min

Primeira cirurgia de ablação por radiofrequência de tumor renal da região é realizada em Uberlândia

Saiba o que é a radiologia intervencionista

PUBLI EDITORIAL
Procedimento consiste na destruição localizada de tecidos tumorais com calor local | Foto: Divulgação
A radiologia intervencionista é uma especialidade médica que atua em procedimentos minimamente invasivos através de punções vasculares ou de órgãos. A especialidade tem interface com várias áreas da medicina. Na área de diagnósticos, realiza biópsias de massas suspeitas através de imagens, sem submeter o paciente a uma cirurgia convencional. Na oncologia, atuamos em tumores hepáticos com cateterismo seletivo, como a quimoembolização, que é a injeção de um quimioterápico e a oclusão dos vasos que nutrem o tumor.

Ainda na oncologia podemos realizar ablação por radiofrequência: destruição localizada de tecidos tumorais com calor local, seja no fígado, rim ou pulmão. “No dia 20 de dezembro de 2019 realizamos o primeiro caso de ablação renal por radiofrequência de Uberlândia no Hospital Santa Genoveva com apoio do CDI. É uma técnica minimamente invasiva em que consiste na punção do tumor com uma agulha guiado por tomografia aquecendo lesão até destruir as células tumorais” descreve Dr. Túlio Leite, médico cirurgião vascular e radiologista intervencionista.

"As técnicas ablativas são indicadas para pequenos tumores de aproximadamente 4 cm, pacientes com condições clínicas que inviabilizam tratamento cirúrgico, pacientes com restrições psicológicas a cirurgias invasivas e aqueles que se recusam a tratamento cirúrgico convencional. Essa técnica proporciona um tratamento menos invasivo, com preservação do órgão e menor tempo de internação, acrescenta”.

Na ginecologia, realizamos embolização de miomas ou adenomiose, ocluindo a vascularização uterina com pequenas partículas esféricas (“do tamanho de grãos de areia”), a fim de reduzir sangramento naquelas pacientes que desejam preservar o útero ou que não querem ser submetidas a uma cirurgia convencional. Além disso, na área vascular realizamos tratamentos de aneurismas de aorta (dilatação do maior vaso do corpo), colocando-se endoprótese (stent revestido com tecido impermeável) por dentro do aneurisma para excluir a dilatação.

A conexão com várias especialidades é enorme, por exemplo, na endocrinologia, na urologia, na obstetrícia, na pneumologia, cirurgia vascular com angioplastias de membros inferiores ou de carótidas naqueles pacientes que têm algum estreitamento significativo da vascularização. Tratamento por laser endovenoso de veias varicosas: termoablação (aplicação de calor local) de veias varicosas insuficientes através de cateter emissor de calor.

Dr. Túlio Leite menciona que a especialidade é extremamente versátil e dinâmica no sentido de oferecer aos pacientes terapia menos agressiva, retorno às atividades diárias de forma precoce, com menos complicações de uma forma geral. Dr. Túlio Leite aconselha os pacientes a procurarem no site da Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular- SOBRICE se seu radiologista intervencionista e cirurgião endovascular possui título de especialista, pois é a segurança de que teve treinamento adequado nos centros de formação.  

DR. TÚLIO LEITE
Cirurgia vascular - FMB/UNESP 
Radiologia  Intervencionista e 
Cirurgia Endovascular - FMUSP
R. Marquês Póvoa, 88
Tel: (34) 3236-6600

 
 Médico ressalta que especialidade oferece aos pacientes terapia menos agressiva | Foto: Divulgação




*Esta publicação é de responsabilidade do anunciante e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.






 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »