01/01/2020 às 17h24min - Atualizada em 01/01/2020 às 17h24min

Confira dicas de especialistas para não decepcionar na hora do churrasco

Evento é um dos mais escolhidos em confraternizações; especialistas de Uberlândia falam sobre produtos e acompanhamentos

BRUNA MERLIN
Carne assada no carvão fica mais macia e suculenta | Foto: Bruna Merlin
Carvão na churrasqueira, cervejas no freezer, carne descongelada e temperada, som ligado nas músicas preferidas e os convidados reunidos. Está tudo pronto para um dos programas mais típicos do brasileiro: o churrasco. O evento que é realizado há várias décadas no país continua sendo o mais escolhido para as confraternizações de empresas, encontros de amigos, reuniões familiares e, por que não, comemorações de fim de ano.

A prática de assar carne na brasa foi se aperfeiçoando com o tempo, conquistando novos povos e sendo conhecida em todo o Brasil. Hoje, o churrasco é um dos eventos mais conhecidos nacionalmente e, apesar da miscigenação brasileira com diferentes culturas, crenças e costumes, o ato de reunir pessoas para assar carne e se divertir é praticado nos cinco cantos do país.

Pessoas de vários lugares diferentes compartilham do amor pela carne assada, mas cada região tem a sua peculiaridade de fazê-la e servi-la. O dono de uma churrascaria localizada no bairro Minas Gerais em Uberlândia Claudino Schwendler conhece bem essa mudança de lugar para lugar. Ele é gaúcho e se mudou para a cidade mineira há cerca de 20 anos.

“No Sul, temos outros jeitos de preparar a carne. Lá, leva mais tempo e mais dedicação e sem dizer que os acompanhamentos também são diferentes. Quando vim para Uberlândia tive que me acostumar com outros hábitos para agradar os clientes da churrascaria. Aqui, os moradores gostam de tudo e muitas vezes gostam mais da combinação de acompanhamentos do que da própria carne assada”, comentou.

O Sudeste, território composto pelos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, é conhecido pelo churrasco que tem de tudo um pouco como já foi afirmado pelo empresário Claudino. Além da carne bovina e suína, do frango e da linguiça, os moradores da região adoram ter a mesa farta de acompanhamentos como arroz branco, vinagrete, maionese, pão de alho, feijão tropeiro, mandioca, torresmo, farofa, batata frita, entre outros.

Churrasco gaúcho
O churrasco gaúcho é o mais conhecido no país pela qualidade e suculência, já que o prato integra a cultura da região e seu preparo é repleto de rituais. Entre as carnes preferidas estão a picanha e a costela preparadas com um bom tempo de antecedência e temperadas exclusivamente com sal grosso. Os gaúchos normalmente dispensam a típica churrasqueira de carvão e optam pelo fogo de chão para assar os cortes. As guarnições são mais simples para que o gosto da carne prevaleça. As escolhidas são: maionese de batata, pão de sal e uma mistura de salada bem temperada.

No nordeste a carne escolhida é a de sol. Ela é feita através do método de conservar o corte salgando e secando repetidas vezes. O acompanhamento mais escolhido pelos nordestinos é o queijo de coalho na brasa, além do pirão de queijo ou de leite, feijão de corda, macaxeira (mandioca) frita ou cozida e a paçoca que nada mais é que a carne de sol amassada com farinha de mandioca e assada na panela.

Para um churrasco bem sucedido 
Se você pretende ser o anfitrião de uma festa com churrasco futuramente ou foi convidado para o evento, algumas dicas importantes podem te ajudar na hora de receber as visitas e de escolher a carne, os acompanhamentos e as bebidas certas para a ocasião. O Diário de Uberlândia conversou com especialistas que entendem do assunto e que vão te auxiliar com detalhes que não podem ser esquecidos.

Não é novidade para ninguém que o preço da carne aumentou neste fim de ano. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Uberlândia, realizado pelo Observatório de Preços do Centro de Estudos, Pesquisas Econômico-Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes/UFU), mostra que a carne foi o produto que mais oscilou no período. O registro mostra que em outubro o índice era de 1,57% e passou para 11,77% no mês de novembro.

No entanto, o assador profissional de carnes e dono do restaurante A Casa do Fogo, localizado no bairro Cidade Jardim em Uberlândia, Mário Lucio Resende Oliveira, garante que o aumento no preço do alimento não irá atrapalhar os que pretendem fazer uma festa com churrasco. E ele não estava errado. No dia seguinte ao Natal, por exemplo, alguns açougues da cidade pesquisados pelo Diário estavam sem estoque pela manhã.

Oliveira acredita que outras alternativas podem oferecer um bom custo/benefício e não deixar o evento ir por água abaixo. “Apesar da minha preferência por contrafilé e costela, existem outros cortes mais baratos e que são saborosos. Os indicados para quem quer gastar pouco e mesmo assim oferecer qualidade são o short rib, flat iron e shoulder que são extraídas do dianteiro do boi”, explicou o empresário.


Churrasco gaúcho dispensa churrasqueira a carvão |  Foto: A Casa do Fogo/Divulgação

Outra alternativa para não apertar nos custos é a divisão dos valores entre os convidados. Cada pessoa pode levar o que for consumir e beber. O recomendado para evitar desperdícios e para que não falte, segundo Mário, é que cada um leve de 300 a 500 gramas de carne para o evento. As visitas e o anfitrião também podem combinar de dividir as compras de guarnições e descartáveis.

Vale lembra que toda a repartição deve ser respeitada para que ninguém saia perdendo. A consultora comportamental Bruna Ribeiro Barcelos Costa, de 38 anos, diz que não é elegante comer o alimento que outra pessoa levou, ainda mais se não há um vínculo familiar ou de amizade próxima. “Se você levou a linguiça, então coma a linguiça. Caso seja acordado que todos irão comer tudo, o ideal é levar um tipo de carne que agrade o paladar da maioria”, ressaltou.

Bruna também lembra de outros três pontos importantes. Para evitar transtornos e perda de tempo, é recomendado que os convidados levem a carne descongelada e ajudem o anfitrião a ajeitar as coisas no final do evento. Caso seja um churrasco de confraternização de empresa, a instrução da consultora é evitar beber em excesso e dar vexame.

“O ideal é que tudo seja combinado e anunciado com antecedência. Todos os acordos devem ser seguidos à risca para que o evento seja um sucesso”, frisou a consultora. 

Para quem quer variar sem gastar muito, o assador profissional Mário indica que as pessoas vejam receitas de chefs renomados na internet. “Existem vários vídeos de como se fazer acompanhamentos diferenciados, fáceis e que irão surpreender os visitantes. A navegação por esse mundo pode elevar o nível do seu churrasco”, disse Oliveira.

Por fim, o empresário ressalta que a melhor opção sempre é a churrasqueira a carvão pois a carne ficará mais suculenta, macia e com um cheiro incrível. Oliveira também lembra da cerveja que, para ele, é o melhor acompanhamento do evento. “Tudo vira sucesso com um churrasco bem preparado e uma cerveja gelada”, finalizou.

Inclusos
Quem foi que disse que os veganos e vegetarianos não podem participar de um típico churrasco brasileiro? Além de poderem, existem várias combinações de alimentos sem origem animal que casam perfeitamente com o evento e que vão muito além de legumes.

A melhor opção para os adeptos à dieta sem proteína animal é o espetinho repleto de legumes como cenoura, batata, cebola, tomate, abobrinha. Mas outras opções podem preencher o cardápio e entre elas estão os hambúrgueres veganos, seitan e o tofu.

Também vale lembrar que algumas dicas podem ajudar as pessoas veggie caso sejam convidadas para um churrasco “normal”. É importante conversar com o anfitrião sobre a condição alimentar para que não fique um clima ruim. “Os que preferirem levar sua própria comida podem ficar à vontade. Caso seja necessário utilizar a churrasqueira, o ideal é avisar antes para evitar transtornos”, explicou a consultora Bruna Ribeiro.

O anfitrião, no ato do convite, também pode perguntar se há algum convidado que opta pela alimentação vegetariana ou vegana e deixar claro que o ele será bem-vindo ao evento. Isso deixará a pessoa mais confortável com seu estilo de vida e não acarretará em surpresas durante a festa. 

A intenção é reunir as pessoas independente dos seus gostos e opções alimentares. Conforme ressalta o empresário Mário, não existe certo ou errado em um churrasco. O errado é não fazer churrasco. 


 



 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »