19/12/2019 às 17h07min - Atualizada em 19/12/2019 às 17h07min

Mais de R$ 10 mil em drogas sintéticas são apreendidos pela PC de Uberlândia

Nove pessoas foram presas nesta quinta-feira (19) com dinheiro, celulares, veículos e as drogas

BRUNA MERLIN
Materiais apreendidos foram encontrados nas residências dos presos | Foto: Bruna Merlin
A Polícia Civil de Uberlândia apreendeu, na manhã desta quinta-feira (19), drogas sintéticas avaliadas em mais de R$ 10 mil durante a operação “Monte Nebo”. Durante a ação, nove pessoas foram presas por tráfico de drogas e por crimes contra o patrimônio.

O delegado-chefe do 9º Departamento de Polícia Civil de Uberlândia, Marcos Tadeu de Brito, informou durante coletiva de imprensa nesta tarde que a ação foi feita com o apoio de 46 policiais e as investigações duraram cerca de três meses. “Recebemos denúncias de que as drogas seriam entregues hoje para traficantes da cidade e montamos um efetivo para conter a ação. A operação começou por volta das 7h”, explicou ele.

Dos nove presos, sete foram detidos através de mandados de prisão e dois em flagrante. As prisões aconteceram em residências localizadas em vários locais da cidade, mas principalmente na região do bairro Martins.

Delegado-chefe 
do 9º Departamento de Polícia Civil de Uberlândia, Marcos Tadeu de Brito em coletiva de imprensa nesta tarde (19) | Foto: Bruna Merlin

Mandados de busca e apreensão também foram cumpridos. Foram apreendidos celulares, R$ 1.600 em dinheiro, US$ 15, um notebook e uma televisão que foi roubada e utilizada como produto de troca por drogas. Entre os entorpecentes encontrados estão pequenas quantidades de maconha e haxixe e um pacote da droga sintética MDA, avaliada em mais de R$ 10 mil. Um carro, que continha dois pés de maconha no porta-malas, e uma motocicleta também foram encontrados.

Ainda durante as investigações foram recolhidos extratos de movimentações bancárias dos suspeitos. “Nós iremos fazer a análise desses documentos e chegar a uma conclusão para saber se houve ganho ilícito com os crimes ou não”, continuou o delegado-chefe.

Brito ressaltou que os trabalhos devem continuar para saber se os autores têm vínculos e se participavam de uma organização criminosa. “Ainda não podemos afirmar que os presos trabalhavam juntos. Durante as oitivas nenhum deles quis se manifestar, sendo assim, novas investigações serão realizadas”, finalizou.

Os suspeitos serão encaminhados ao Presídio Professor Jacy de Assis assim que o flagrante for finalizado na 1ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Minas Gerais.

Televisão roubada foi utilizada para troca por drogas | Foto: Bruna Merlin







 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »