04/11/2019 às 09h03min - Atualizada em 04/11/2019 às 09h03min

Após 30 anos, Skank anuncia separação em 2020

Banda mineira fará uma turnê de despedida com datas a serem anunciadas em janeiro

ADREANA OLIVEIRA COM FOLHAPRESS
Haroldo Ferretti, Lelo Zaneti, Samual Rosa e Henrique Portugal completaram 30 anos de banda | Foto: Diego Rhuan/Divulgação

Uma das bandas de maior sucesso do pop mineiro, e nacional, o Skank, anuncia uma pausa na carreira no próximo ano. Mas antes, farão uma turnê de despedida que deve percorrer todo o território nacional, e espera-se que Uberlândia esteja inserida nesta lista que será divulgada em janeiro de 2020. Afinal, a partir de 1996, com a turnê de “Samba Poconé”, a banda sempre marca presença por aqui com suas turnês que foram desde o UTC ao estádio Parque do Sabiá, passando por espaços com o a Arena Sabiazinho, onde se apresentaram com a Orquestra de Câmara Sesiminas.

O comunicado foi divulgado no domingo (3) pelas redes sociais e página oficial da banda que toma a decisão em comum acordo. Segundo eles, houve "somente um desejo por experimentação, por correr riscos e buscar outras formas de realização sem ser como Skank". "(Chegou a hora de) cada um olhar para si. É hora de experimentarmos, ainda que demos com os burros n´água. Quero me testar fora do Skank, me ver em um círculo de músicos fora do que sempre transitamos. Há muito ainda a descobrir", diz Samuel Rosa, vocalista e guitarrista que já se apresentou em Uberlândia em show solo e também ao lado de Lô Borges.

A turnê de despedida, “30 anos”, servirá também para celebrar as três décadas do quinteto e terá, claro, uma bela coletânea de seus muitos hits e uma música inédita.

O baixista Lelo Zaneti reafirma que o compromisso do Skank é com o público e no cuidado com a carreira. "Não acreditamos que é preciso estar em baixa para dar uma parada, não precisa ser trágico, nem problemático". Rosa faz coro ao discurso do companheiro dizendo que "não precisa nem da decadência, nem da guerra para terminar alguma coisa".

Em festivais pelo Brasil e no exterior, o Skank sempre foi um orgulho da música mineira ao embalar públicos de milhares de pessoas com suas canções dançantes e baladas. Formada em 1991, nunca alterou sua formação com Samuel, Lelo e ainda Henrique Portugal nos teclados e Haroldo Ferretti na bateria.








 

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »