23/10/2019 às 18h46min - Atualizada em 23/10/2019 às 18h46min

UFU projeta economia de R$ 1,5 milhão com energia elétrica

Parceria com a Cemig viabiliza troca de lâmpadas e equipamentos do HC-UFU e no campus Santa Mônica

VINÍCIUS LEMOS
Iniciativa ocorre por meio do Programa de Eficiência Energética da Cemig | Foto: Vinícius Lemos
A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) pretende economizar, por ano, R$ 1,5 milhão com energia elétrica após fazer mudanças de iluminação no campus Santa Mônica e no Hospital de Clínicas (HC-UFU), além de substituir equipamentos na unidade hospitalar federal. O investimento para as melhorias, de mais de R$ 5 milhões, veio do Programa de Eficiência Energética da Companhia Energética de Minas Gerias (Cemig).

No campus Santa Mônica, até o fim de outubro, 33 mil lâmpadas comuns serão substituídas por iluminação de LED, em um trabalho iniciado em julho. Tanto a iluminação externa, quanto a interna foi mudada. O custo final será de R$ 3,7 milhões e o projeto é considerado o maior do programa da Cemig, em nível individual. “Há benefício muito grande porque as lâmpadas trocadas não geram resíduo tóxico. No ano passado, 72 mil lâmpadas fluorescentes foram descartadas e geraram custo para esse descarte adequado”, disse o diretor de sustentabilidade da UFU, Nelson Barbosa.

Outra frente para a economia foi conseguir junto à estatal mineira mais um investimento, de R$ 1,6 milhão, para a troca de 14 mil pontos de iluminação do HC-UFU, além da substituição de novos equipamentos, como três autoclaves e quatro focos cirúrgicos. Com o trabalho finalizado, apenas no primeiro mês, a economia calculada pela unidade de saúde foi de R$ 54,6 mil no comparativo entre os meses de julho de 2019 e de 2018. As autoclaves ainda trarão uma economia de 120 mil litros de água por mês no trabalho de esterilização de equipamentos hospitalares.

“São recursos de custeio que poderemos utilizar em outras necessidades do Hospital, e não pagando conta de luz”, disse o reitor da UFU, Valder Steffen Júnior. Ele explicou que a captação desses valores não é uma ação direta para contornar o contingenciamento de verbas universitárias federais em 2019, uma vez que o projeto foi apresentado à Cemig ainda no ano passado.

CEMIG
Anualmente, a estatal mineira disponibiliza uma verba para custeio de projetos que abordem o uso consciente da energia elétrica. Neste ano, esse recurso é da ordem de R$ 50 milhões, os quais podem ser usados por meio de chamamento público. Foram apresentados 126 projetos que seguem sendo analisados. Outra frente da Cemig nesse sentido é uma verba com o mesmo objetivo, mas especificamente a hospitais públicos. Entre 2019 e 2020, a empresa espera investir R$ 40 milhões em unidades hospitalares.

“Nosso objetivo é reduzir desperdício e demanda nos horários de pico. Os ganhos são para a Cemig e para a sociedade. Quando se investe em eficiência, você deixa que uma energia cara que gera impacto seja desperdiçada. É mais barato combater o desperdício do que aumentar sua capacidade de geração”, disse o gerente em Eficiência Energética da Cemig, Ronaldo Lucas Queiroz.

EXPANSÃO
Um novo projeto da Universidade Federal de Uberlândia será submetido à Cemig para que haja a expansão da troca de iluminação nos campi Umuarama e Educação Física no ano que vem. O gasto previsto será entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões e o montante poderá ser captado novamente pelo Programa de Eficiência Energética. “Está prevista nova iluminação externa do campus Umuarama e do Educação Física, que tem volume grande de ginásios e trabalha em três turnos, o que consome muita energia”, disse Nelson Barbosa.






 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »