19/10/2019 às 15h32min - Atualizada em 19/10/2019 às 15h32min

Comércio abre período de contratações temporárias para o final do ano

Em Minas, 16,4% dos empresários planejam vagas de final de ano; lojistas de Uberlândia falam sobre expectativas

SÍLVIO AZEVEDO
Empresária Rhina Aquino Machado já iniciou processo de entrevistas para contratações temporárias | Foto: Divulgação
De olho nas vendas de final de ano, os comerciantes já começaram a se movimentar com estratégias para atrair mais consumidores. Para se prepararem para o aumento da demanda, muitos comércios já projetam abertura de vagas temporárias. Segundo levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG), 16,4% dos empresários mineiros planejam contratar funcionários temporários.

Em outro dado da pesquisa “Contratação de Temporários”, 83,9% dos entrevistados devem manter o número de vagas ofertadas no ano passado, a maioria distribuída entre vendedores (58,6%), operadores de caixa (13,8%), estoquistas/repositores (8%), fiscais de loja (5,7%) e balconistas (3,4%). Os segmentos que terão mais admissões de temporários são os de tecido, vestuário e calçados (35,5%) e artigos de uso pessoal e doméstico (26,1%).

De acordo com o superintendente do Uberlândia Shopping, Fredson Dourado, a expectativa é que, neste ano, as vendas sejam ligeiramente melhores do que o ano passado devido a um pré-aquecimento da economia, demonstrado pelo aumento no fluxo de frequentadores do shopping, que chega a 12% em relação a 2018.

“É um indício de melhora na economia. Os negócios também sentem esse termômetro. Então tem uma expectativa de um aumento de 15% a 20% no número de contratações temporárias a partir da segunda quinzena de novembro”.

Outra perspectiva positiva apresentada pela pesquisa da Fecomercio-MG é em relação a efetivação de temporários. Entre os ouvidos, 31,2% têm interesse em contratar os temporários para o quadro de funcionários fixos, principalmente entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020.

E tem empresas que já começaram o processo de contratações. Uma delas é a Brasil Cacau, do Center Shopping. Segundo a proprietária da loja, Rhina Aquino Machado, são oferecidas três vagas e as entrevistas começaram ontem.

“A gente já se antecipou. Hoje [ontem] já fiz 10 entrevistas e já estamos vivendo esse momento para quando chegar a hora, o pessoal não esteja despreparado. Esperamos chegar em novembro com todos contratados e treinados”.

A proprietária ainda afirmou que um dos profissionais que ocuparem as vagas de temporários deverá ser efetivado. “O diferencial é vestir a camisa da empresa, dar o melhor de si e viver com a gente o momento, entender e fazer jus ao treinamento.”

Com duas lojas em Uberlândia, a Zanzine também está realizando processo de contratação de temporários. De acordo com o supervisor regional, Marcos Cardoso, já foram 18 entrevistas para ocupar as quatro vagas da loja do Center Shopping.

“Estamos a todo vapor para contratarmos os melhores. Largamos na frente de grande parte das lojas para a gente fazer a melhor seleção e colocar para dentro só os campeões. Nessa loja são cinco vendedores e vamos aumentar para nove.”

O momento faz com que muitas pessoas enviem seus currículos, mas apesar da quantidade, nem sempre os pré-requisitos são atendidos. “A quantidade de currículos é maior que no ano passado, mas a maior dificuldade é com a qualificação, porque é um momento que todo mundo quer e vem pessoas de todas as outras áreas. Recebemos muitos currículos de pessoas com experiências de fora do varejo, como cozinheiro, por exemplo”, disse Marcos.

E já que o número de efetivações não está definida, apenas quem se destacar, vai ganhar uma vaga de colaborador fixo na loja. “Com certeza existe a possibilidade de contratação. A gente quer os campeões aqui dentro. Entrou e fez um bom resultado, não quero perder essa pessoa. Se entrar quatro campeões, eu dou um jeito de efetivar todos. A vaga a gente cria.”

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »