16/10/2019 às 15h49min - Atualizada em 16/10/2019 às 15h49min

Prefeitura autoriza obras do Polo Tecnológico Sul em Uberlândia

Início deve ser imediato; contrato prevê da terraplanagem à fiação elétrica

VINÍCIUS LEMOS
Cerimônia de assinatura de Ordem de Serviço ocorreu, nesta quarta (16), na sede da Prefeitura | Foto: PMU/Divulgação
As obras para a construção do Polo Tecnológico na zona sul da cidade devem ser iniciadas de imediato. Os trabalhos já foram autorizados com a assinatura das ordens de serviços realizada, nesta quarta-feira (16), em cerimônia oficial na Prefeitura de Uberlândia. Duas empresas farão obras elétricas e de estrutura no local. Inicialmente, o custo será de R$ 8,9 milhões, somados os dois contratos. Ainda não há um prazo definido para o início das vendas dos lotes no Polo.

A empresa Sigma Engenharia ficará responsável pela terraplanagem, rede de água pluvial, pavimentação, depósito de resíduos, muros, portaria, urbanismo e paisagismo, entre outras construções. Este é o maior contrato e vai custar R$ 5,1 milhões. Já a empresa Freitas & Morais Construtora LTDA terá a responsabilidade de fazer a instalação de redes subterrâneas de energia elétrica e iluminação pública. O contrato com o Município neste caso é de R$ 3,8 milhões.

Os editais foram lançados em julho e o objetivo era que até o mês de setembro as obras fossem iniciadas. As licitações para as obras seguiram em Regime Diferenciado de Contratações e os recursos para o pagamento foram levantados por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) junto à Caixa Econômica Federal.

“A pressa dos empresários é grande e agora vamos oportunizar o começo desse trabalho”, disse o prefeito Odelmo Leão. De acordo com o secretário de Obras, Norberto Nunes, os trabalhos de iluminação serão finalizados em até quatro meses, enquanto o as obras da estrutura geral do Polo ficarão prontas em seis meses.

A área fica na rua da Carioca, no bairro Gávea, e é limitada pelo Rio Uberabinha. Ela tem quase 153 mil metros quadrados e será dividida em 32 lotes, cujos tamanhos variam de 600 metros a 4,85 mil metros quadrados. Hoje o local tem apenas um acesso, por meio das avenidas Paulo Gracindo e Ibiporã. Uma alternativa de acesso será feita com a construção de uma ponte na rua da Carioca sobre o córrego Vinhedo, que vai interligar o Polo com o bairro Morada da Colina e cuja execução tem previsão de ser finalizada em fevereiro de 2020.
 
VENDAS
O passo seguinte do Executivo é a elaboração do edital para venda dos lotes. Ainda que não seja algo dado como certo, o objetivo é que a divulgação das vendas já comece em novembro, segundo Odelmo Leão.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Rafael Leles, afirmou que o texto já está em elaboração. “Ele será feito para termos uma atratividade, mas vamos ficar atentos para termos cuidados com o bem público, para dar transparência e estabelecer critérios para que as áreas sejam adquiridas, e as obras, implementadas”, afirmou.

O objetivo do Município é conseguir fazer receita com as vendas, ainda que possa conceder subsídios, ultrapassando assim os quase R$ 9 milhões que serão investidos na infraestrutura.

A área voltada para o Polo Tecnológico foi delimitada ainda em 2012 e o projeto não foi prosseguido entre 2013 e 2017. Aconteceram atualizações jurídicas e técnicas para o relançamento neste ano. O orçamento inicial para o projeto era de R$ 5,2 milhões.
 





 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »