02/10/2019 às 13h45min - Atualizada em 02/10/2019 às 13h45min

Projeto de oficinas de cinema já atendeu mais de 400 estudantes em Uberlândia

Trakinagem também promove mostra de cinema na cidade no próximo mês; inscrições estão abertas até o dia 15 de outubro

GIOVANNA TEDESCHI
Estudantes aprenderam técnicas de filmagem | Foto: Thaneressa Lima/ divulgação

Um projeto que mistura educação e cinema. Essa é a definição do Trakinagem, que atendeu 439 estudantes em 18 escolas públicas de Uberlândia em agosto deste ano. Durante oficinas com cineastas, os alunos produziram curtas-metragens, abordando temas como o bullying, a homofobia e a inclusão de pessoas com deficiência.

 

E agora, mais uma possibilidade. Até o dia 15 de outubro, estão abertas as inscrições para a Mostra de Cinema e Educação de Uberlândia. Há uma categoria para cineastas com filmes que abordem educação e outra para alunos e professores da educação básica com produções em contextos escolares. No ano passado, foram mais de 228 filmes inscritos por pessoas de nove estados brasileiros.

 

Cristiano Barbosa é cineasta idealizador do projeto Trakinagem, que começou em 2017 e originou a mostra. “O Trakinagem encontra uma acolhida muito grande nas escolas porque hoje a gente vive numa sociedade que basicamente se comunica com imagem. Há uma curiosidade por parte dos alunos de de fato conhecer melhor essa linguagem para que eles produzam os filmes de seu interesse ”, afirma.

 

Otávio Ferreira, de 11 anos, está no 5º ano da Escola Municipal Itamar Franco.“Eu gostei muito de participar. Essa oportunidade me fez ver o cinema com outro olhar”, afirmou. “Gostei muito do Trakinagem e queria que voltassem aqui mais vezes para fazer esse projeto com a gente”, pediu Vitória Santos, de 11 anos, do 5º ano da Escola Municipal do Bairro Shopping Park.

 

Para a professora Lígia Maciel, da escola Itamar Franco, o projeto coloca as crianças em contato com uma realidade que, em outro momento, seria desconhecida. “Acredito que isso colabora fortemente para a formação delas. A ideia delas até então era só o que viam na televisão, não viam o que tem por trás. Eles podem ver isso como uma profissão futuramente”, diz.

 

Na Escola Municipal Antonino Martins Silva, a traquinagem típica das crianças de bater na porta do vizinho e sair correndo foi a temática do filme | Foto: Thaneressa Lima/ divulgação
 

O PROJETO

Entre 19 e 30 de agosto, os cineastas Cristiano Barbosa e Thaneressa Lima percorreram escolas municipais e estaduais de todas as regiões da cidade oferecendo oficinas de cerca de três horas a crianças e adolescentes. “Num curto espaço de tempo, nós conseguimos compartilhar com os professores e com os alunos os componentes básicos da criação da imagem e do movimento e realizamos um curta-metragem”, explica Barbosa. 

 

Desde 2018 viabilizado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) e patrocinado pelo Sistema Martins, o projeto surgiu quando Barbosa concluiu o doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestre em Geografia, ele estudou o uso da imagem na educação. “Ao voltar a morar em Uberlândia, eu criei o Trakinagem, que em 2017, realizei com recursos próprios em parceria com uma amiga, professora da Eseba [Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia]. Foi o pontapé inicial para estruturar a metodologia do projeto”, conta. 

 

Como parte do doutorado, Barbosa passou um ano em Paris, na França, estudando a relação da educação com os filmes. Ele explica a tese de Alain Bergala, um famoso cineasta francês. “Para além de assistir, a gente precisa envolver os alunos na produção porque isso faz com que, na prática, eles entendam o processo de construção da imagem , tornando-se espectadores mais críticos”. 

 

Para Barbosa, o Trakinagem não ensina apenas os alunos presentes, mas abre a possibilidade de o conhecimento se espalhar. “Nós fazemos com uma turma na perspectiva de que esse professor e esses alunos que participaram se tornem multiplicadores do projeto dentro da escola”, diz.

 

SERVIÇO

A 3ª Mostra de Cinema e Educação de Uberlândia acontece entre 11 e 13 de novembro com o objetivo de refletir sobre o atual cenário da educação e debater as transformações sociais, políticas e culturais através da produção cinematográfica.

 

Para os interessados em participar, há duas categorias: uma destinada a pessoas que se autodefinem como cineastas, que produziram filmes de ficção, documentário ou animação que abordem a temáticas da educação. Os filmes devem ter duração máxima de 25 minutos. 

 

A segunda categoria é voltada para alunos e professores da educação básica, que tenham produzido curtas-metragens, com até três minutos de duração, em contextos escolares e com temática livre. 

 

Os filmes serão avaliados por uma comissão de seleção e os escolhidos serão divulgados até o fim deste mês. O formulário de inscrição está aberto até 15 de outubro e o edital está disponível em PDF. Mais informações podem ser adquiridas por meio do e-mail [email protected]


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »