20/09/2019 às 17h54min - Atualizada em 20/09/2019 às 17h54min

Ação conscientiza sobre uso de vagas especiais no trânsito de Uberlândia

Em manifestação, cadeiras de roda fecharam estacionamento no Centro

VINÍCIUS LEMOS
Cadeiras estampavam justificativas usadas por motoristas para utilizar vagas especiais | Foto: Vinícius Lemos
O estacionamento de uma quadra inteira na avenida Afonso Pena, no Centro de Uberlândia, foi tomado por cadeiras de roda, na manhã desta sexta-feira (20). A ação era um protesto e fazia parte da campanha de conscientização dos direitos e luta das pessoas com deficiência. Por pelo menos duas horas, motoristas não puderam parar nem estacionar veículos de frente à praça Tubal Vilela.

As cadeiras de roda tomaram a via e traziam mensagens que normalmente são usadas por motoristas que usam vagas de deficientes e idosos. São frases como “É rapidinho”, “Só um minutinho”, “Já volto”. Apenas 2% das vagas para estacionamento são reservadas, por Lei Federal, para as pessoas com deficiência. Em Uberlândia, esse número chega a 720 vagas.

A assistente social da Associação dos Paraplégicos de Uberlândia (Aparu), Nubia Nara Carvalho Nascimento, afirmou que esse tipo ação é importante para lembrar sobre os direitos dos deficientes físicos e trazer o tipo de situação pela qual eles passam no trânsito da cidade. Ao mesmo tempo ela cobrou do Município maior efetividade na fiscalização para que a Lei seja cumprida nas ruas ou em estabelecimentos privados. “É necessária maior fiscalização. A Secretaria de Trânsito e Transportes tinha que ter maior fiscalização. Quando chamamos, a demora é de quase uma hora, aí nem precisamos mais. Há maior dificuldade em shoppings e supermercados”, disse.

O advogado cadeirante e voluntário na manifestação Jesus Garcia lembrou que a legislação já existe e o que deve ser feito é que a população lembre dos direitos dos deficientes, e que se trata de um dever de todos respeitar a Lei. “Temos leis suficientes, o que precisamos é conscientização para que possam entender que essa Lei é para ser respeitada. Não pedimos favor, é uma conquista e direito nosso”, afirmou.

Quase 10 empresas e instituições ligadas aos deficientes estiveram na mobilização na região central. Houve distribuição de panfletos e abordagem de motoristas a respeito do debate promovido na ação. “É de se parabenizar [a ação]. Vemos muita gente desrespeitada por gente que usa vagas que não são delas”, disse o motorista Ronan Odilon.

A vereadora Dra. Flávia Carvalho (PDT) é autora da Lei 13.186/2019, que instituiu no Município o Dia de Luta das Pessoas com Deficiência, comemorado nacionalmente neste sábado (21). Ela foi organizadora do evento ao lado das lideranças pelo direito das pessoas com deficiência, e afirmou que o fato do motorista não poder parar em um local de grande movimentação ajuda na conscientização. “Empatia é a palavra da vez, porque sem ela nem as multas servirão para mudar a consciência de quem não entende o outro lado e usa essas vagas”, afirmou.

Tramita na Câmara Municipal, ainda, um projeto de Lei que pretende instituir o programa Multa Moral. Ele trata de ações que poderão ser feitas por meio de distribuição de blocos da Multa Moral às instituições de apoio e proteção às pessoas com deficiência. Em caso de uso indevido da vaga especial, o motorista infrator receberá notificação de uma Multa Moral, fazendo-o refletir sobre a consequência na rotina de quem não teve o seu direito respeitado.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »