14/09/2019 às 08h40min - Atualizada em 14/09/2019 às 08h40min

SOS Pet realiza mais um Mutirão de Castração em Uberlândia

Cidade conta com aproximadamente 30 mil animais em situação de rua; evento ocorre neste domingo (15)

SÍLVIO AZEVEDO
Mutirões da SOS Pet já realizaram, desde o final de 2017, mais de 2,4 mil procedimentos | Foto: SOS Pet/Divulgação
Uma estimativa da Organização Não Governamental (ONG) SOS Pet aponta que Uberlândia conta com aproximadamente 30 mil animais em situação de rua, entre cachorros e gatos. E para tentar diminuir esse índice, alimentado não só pelo abandono, mas também pela reprodução desenfreada desses animais, a SOS Pet realiza no dia 15 de setembro mais uma edição do Mutirão de Castração.

A ação acontece em parceria com a Faculdade Presidente Antônio Carlos de Uberlândia (Unipac), que cedeu seu Hospital Veterinário para a realização das castrações, além da participação de acadêmicos do curso de Medicina Veterinária e estagiários.

De acordo com o presidente da SOS Pet, Henrique Silva, o trabalho tem como objetivo atender cães e gatos sem raça definida que foram retirados das ruas e que vivem com adotantes de baixa renda ou que acolhem vários animais. 

“É um público que tem perfil para ganhar uma castração animal no Hospital Veterinário, mas não foi contemplado, além das pessoas que adotaram um animal nas feiras de adoção que a gente promove todo fim de semana”, disse. 

Os mutirões organizados pela SOS Pet já realizaram, desde o final de 2017, mais de 2,4 mil procedimentos. Neste ano, em 17 edições, foram 1.346 animais castrados, número que deve chegar a 2 mil até dezembro. “Acredito que, neste ano, a gente deve terminar com mais castrações, através dos mutirões, do que a Prefeitura com o convênio com o Hospital Veterinário da UFU”, afirmou Silva. 

Segundo Silva, mesmo quem não possui animais, mas tem interesse em contribuir, pode entrar em contato com a SOS Pet. “Quem quiser ajudar, apadrinhando a castração de um animal de rua, ou do animal de uma pessoa que ele conheça e que não tenha condições de realizar a cirurgia, pode fazer uma doação para a ONG. Do total de cirurgias que são realizadas, cerca de 20% das vagas são para animais que não têm ninguém contribuindo.”

Para o evento do dia 15 de setembro as vagas já foram todas preenchidas. Para participar dos próximos Mutirões de Castração, os interessados devem escrever para o e-mail [email protected] e aguardar contato dos voluntários. A ação não é gratuita e a ONG pede uma contribuição para ajudar no custeio da compra de materiais e medicamentos utilizados (R$ 100 para animais fêmeas e R$ 80, para machos). 

O diretor-executivo da Unipac, Ronaldo Alves, afirma que o trabalho viabilizado pela parceria acontece em prol do bem-estar dos animais, mas também como forma de prevenção, já que são milhares de cães e gatos soltos na cidade.

“A gente passou a abrir o hospital veterinário para atender a comunidade. A partir daí, começaram os trabalhos sociais junto com as ONGs que são parceiras dos projetos. Com esses mutirões aumentaram os números de castrações na cidade. Estamos fazendo nosso papel social junto à sociedade”.

UFU
Outro meio de castração de animais é através do convênio entre Prefeitura de Uberlândia e o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). O serviço gratuito é voltado para protetores de animais e pessoas com renda familiar de até três salários mínimos (R$ 2.994). 

Para viabilizar o serviço, a Prefeitura repassa anualmente R$ 262,5 mil para o Hospital Veterinário. Até agosto deste ano, já foram realizadas 985 cirurgias de esterilização de gatos e cachorros. 

Para ser beneficiada, a pessoa deve atender os critérios exigidos (ver quadro abaixo) e realizar um cadastro no Centro de Controle de Zoonoses, que fica na av. Alexandrino Alves Vieira, 1423, bairro Liberdade. O número de vagas é determinado pelo próprio Hospital Veterinário da UFU.

Exigências e documentação

1) proprietário deve ter residência fixa no município; 
2) apresentar comprovante de vacinação antirrábica atualizada;
3) ter submetido o animal ao cadastro do Centro de Controle de Zoonoses;
4) idade do animal deve ser a partir dos 6 meses; 
5) animal deve estar em condição física aparentemente satisfatória. 
6) documento de identidade do proprietário do animal (cópia da identidade e CPF); 
7) comprovante de renda de toda a família, sendo que a soma tem de ser inferior a (3) três salários mínimos;
8) comprovante de residência

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »