13/09/2019 às 08h01min - Atualizada em 13/09/2019 às 08h01min

Diversidade musical é marca do Timbre

Sexta edição do evento traz mais de 20 atrações até domingo para Uberlândia

ADREANA OLIVEIRA
A banda Dead Fish que chega com uma nova turnê para um público conhecido | Foto: Adreana Oliveira

Com o tema “Só o amor nos completa” começou nesta quinta-feira (12), na Granja Marileusa, o 6º Festival Timbre, que continua nesta sexta (13) e sábado (14) no Teatro Municipal de Uberlândia, e encerra no domingo (15) dentro do projeto Arte na Praça, na praça Sérgio Pacheco, essa última com entrada franca. São mais de 20 atrações em diversos palcos culturais da cidade Os ingressos para hoje e amanhã custam R$ 100 a inteira e R$ 50 a meia, com opção de meia-entrada solidária.

O line up do evento se mantém na proposta de valorizar talentos de Uberlândia e região e ainda trazer para a cidade artistas de representatividade nacional que surgiram fora do eixo Rio-São Paulo e se destacam no rock, no rap, no hip hop, eletrônico... diversidade aqui é a palavra-chave.

Há parcerias bem promissoras também como DKVPZ que fará participação especial como convidado de Baco Exu do Blues, Tuyo convida Lucas Silveira (Fresno), e, pela primeira vez no Brasil, o mineiro Bemti canta com Roberta Campos, enquanto Jaloo estreia seu novo projeto musical com o grupo paraense Strobo, intitulado de Os Amantes.

Como você já leu no site do Diário, outra novidade é que a partir deste ano o Festival Timbre assume o compromisso com a sustentabilidade. Em parceria com uma empresa local, 100% do lixo gerado no evento receberá destinação correta e ambientalmente adequada.

Entre os shows de amanhã tem a banda capixaba Dead Fish, que acaba de lançar seu 10º algum de estúdio, “Ponto Cego”, e conta com passagens memoráveis, inclusive em um festival no qual tiveram objetos e documentos furtados no camarim.

“Esse show que não foi menos colossal por conta do furto que até hoje achamos que foi birra dos seguranças/organização, por não termos obedecido algumas regras impostas por eles. Enfim, nunca saberemos, ficou pra história. Nossos shows em Uberlândia sempre são quentes, público atencioso, divertido, em nenhum momento foi diferente”, disse o vocalista Rodrigo Lima, único da formação inicial da banda em 1991. Com ele, estão agora Marcos Melloni (bateria), Ric Mastria (guitarra) e Igor Modesto (baixo).

Sobre a atual turnê, Rodrigo afirma que está muito legal. “Estamos vendo muitas caras mais novas no público, até gente de fora do nosso nicho do punk, hardcore. Estamos felizes. O álbum conta uma história do momento do Brasil, vista de dentro de uma bolha, uma fotografia de aqui e agora”.

O Dead Fish faz parte de uma cena que passou por muitas mudanças. Nessas mais de duas décadas, sobreviveram a muita coisa.
“Vimos muitas pessoas passarem na frente do palco por quase três décadas, cada momento foi especial de um jeito. Em algum momento tínhamos a mesma idade que o público, hoje é diferente, mas não menos instigante. Hoje é tudo muito instantâneo, líquido mesmo, desço do palco já vendo os vídeos que o público fez dessa mesma apresentação. Isso é líquido, mas é bom pra todos, democratiza. Uma banda ao vivo é algo muito mais relevante do que era antigamente e isso é muito bom. Eu gosto dessa velocidade em ser mostrado pro mundo”, explicou Rodrigo.

A banda tem como características performances bem intensas, mas o vocalista comenta que, por conta da passagem do tempo e da renovação do público, essa intensidade se reformulou. “Existe uma renovação, mais garotas, o público envelheceu um pouco e é menos agressivo que quinze anos atrás, por exemplo, mas não menos intenso”.
 
SERVIÇO:
O QUE
: Festival Timbre 2019
QUANDO: até domingo (15)
INGRESSOS: R$ 50 (meia-entrada) e R$ 100 (inteira), à venda no site ingressolive.com/festivaltimbre (com taxa de conveniência), lojas Fox Club (Center Shopping, Uberlândia Shopping e Terminal Central) e LOL UFU Santa Mônica (Bloco 3Q). Quem doar 1kg de alimento não perecível tem acesso à meia-entrada solidária
CLASSIFICAÇÃO: 16 anos
INFORMAÇÕES: festivaltimbre.com.br
 
PROGRAMAÇÃO

SEXTA-FEIRA (13)
19h30 no palco interno do Teatro: Bemti + Roberta Campos (MG), Tuyo (PR) + Lucas Fresno (RS)


SÁBADO (14)
14h – Área externa do Teatro: Vaine (MG), Arthur Xará (MG), Black Pantera (MG), Dead Fish (ES), Os Amantes com Jaloo + Strobo (PA), Anavitoria (TO), Duda Beat (PE), Baco Exu do Blues (BA) + DKVPZ (SP)
PALCO ELETRÔNICO BELGRANO
Felipe Cunha | Felipe Flores | Gabi Esteves | Laissy Alves | Marcel Drigo | Maurício Alves | Paloma Ferreira


DOMINGO (15)
14h – Timbre - Arte na Praça com entrada franca (Praça Sérgio Pacheco)
Discotecagem: Coletivo BAIT (MG), Cinema Invisível (MG), Natânia Borges e Azenza (MG), Duda In The Sky (MG), Joe Silhueta (DF), Luisa e os Alquimistas (RN) e Castello Branco (RJ)


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »