12/09/2019 às 07h59min - Atualizada em 12/09/2019 às 07h59min

Um olhar particular sobre a política brasileira

Jornalista Ivan Santos lança livro com textos adaptados para os novos leitores

ADREANA OLIVEIRA
Ivan Santos entre algumas das ferramentas usadas no noticiar | Foto: Adreana Oliveira

“Não me chame de senhor Ivan, somos colegas”. Assim Ivan Santos começa a conversa com sua interlocutora: como se fosse um entre vários jornalistas no exercer da profissão que tantas transformações tem sofrido ao longo do tempo. Humilde, reserva-se ao direito de protestar ao ser chamado de mestre. Mas Ivan Santos não é só mais um jornalista entre tantos. Em seis décadas de carreira imprimiu sua marca na forma de noticiar a política e os políticos, algo que abraça com gosto.

Nesta quinta-feira (12), na Aciub, ele lança o primeiro livro “Entre Textos, Contextos e Entrelinhas” (Assis Editora, 216 páginas, R$ 40), uma coletânea de textos publicados em diferentes jornais e em diferentes épocas. “Não é uma narrativa linear. O leitor pode escolher o texto que quiser de trás para frente se preferir. Reescrevi essas notícias para o leitor de hoje que pela minha experiência, já não quer mais um texto com mais de 3 mil caracteres”, comentou.

Nesse processo, Santos eliminou adjetivos, substantivou o máximo que pode e eliminou também as locuções verbais. “Temos uma nova mentalidade de leitor que quer o máximo de informação no mínimo espaço. É aquele que se informa pelo Twitter e seus 140 caracteres, por exemplo”.

Todos os textos são relacionados à política ou políticos, mas Santos enfatiza que é mais sobre a velha política, “aquela que se fazia com arte”. Entre os textos selecionados, histórias de políticos mineiros, que considera os mais ativos junto com os gaúchos. “Minas e o Rio Grande do Sul são os estados mais comprometidos com política no Brasil, mas cada um do seu jeito. No Sul por conta das batalhas que travaram para defender suas fronteiras e em Minas pelo jeito de tratar tudo ao pé do ouvido, nos bastidores”.

No livro, Santos retoma histórias como a da criação da Capital Federal, que era par ter sido construída em Cachoeira Dourada (MG) e perdeu em uma votação de segunda-feira por cinco votos. Conta ainda como foi sua conversa com Juscelino Kubitschek de Oliveira na última visita do presidente a Uberlândia, pouco tempo antes da morte do governante em um acidente em 1961.

Os jovens jornalistas podem conferir ainda como foi instituída a pauta usada até hoje nas redações, como forma de controle na época da ditadura. Santos, com registro profissional de Jornalista no Ministério do Trabalho, afirma que o curso superior é indispensável para o exercício da profissão. “Hoje temos que estar conectados com todas as tecnologias que envolvem a notícia, quando comecei aprendíamos nas redações, de acordo com a linha editorial de cada veículo. Além disso recomendo curso de história porque muita gente peca por achar que a história acabou e por isso os jovens são cada vez mais comandados pelos mortos”.

TRANSFORMAÇÕES
Nascido no estado de Alagoas, Ivan Santos começou a viajar cedo. Morou no Rio Grande do Sul, onde nasceu a primeira filha, depois Rio de Janeiro, onde atuou no “Diário Carioca” (1950), São Paulo, trabalhando no jornal O Estado de São Paulo até meados dos anos 80.

E foi o jornalismo que o trouxe a Uberlândia, de onde não saiu mais. “Vim fazer um trabalho sobre a exploração do cerrado para o Estadão e quando encerramos a série eu não quis mais voltar para lá”, contou.

Em Uberlândia, passou pelos jornais “Tribuna da Imprensa”, “O Triângulo”, “Primeira Hora”, “Correio de Uberlândia” e também pela “TV Triângulo” (hoje “TV Integração”). Atualmente integra a equipe de comunicação da Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub) e publica seus textos diariamente no site: uberlandiahoje.com.br.

Aos 87 anos, com passagem também pelo mercado financeiro e assessoria de imprensa, Ivan Santos segue se reinventando junto com o jornalismo, movido pela ética. “Passei por várias transformações junto com a imprensa. É preciso manter a mente ocupada. Publico meus textos diários no blog, não podemos parar e para mim, mantenho a máxima de Millôr Fernandes: ‘jornalismo é oposição, o resto é armazém de secos e molhados’”.

SERVIÇO
O QUE: lançamento do livro “Texto, Contexto e Entrelinhas” e sessão de autógrafos
QUEM: Ivan Santos
QUANDO: quinta-feira (12), às 19h
LOCAL: Aciub (Av. Vasconcelos Costa, 1.500, Martins)
ENTRADA FRANCA
INFORMAÇÕES: 3239-1500
Após o lançamento o livro estará disponível para venda no site assiseditora.com.br e em breve na Livraria Despertar, em Uberlândia.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »