05/09/2019 às 09h41min - Atualizada em 05/09/2019 às 09h41min

Imóveis comerciais têm impulso na crise em Uberlândia

Para Sinduscon, cidade demonstra capacidade de absorver empreendimentos

SÍLVIO AZEVEDO
Empresários optaram por instalar restaurante e cervejaria no Pátio Sabiá | Foto: Sílvio Azevedo

Uberlândia tem se consolidado como uma cidade estratégica para a instalação de novas empresas e industrias. Com isso, um mercado que acaba se movimentando bastante é o imobiliário. Além da comercialização de imóveis residenciais, a cidade vem ganhando investimentos em prédios comerciais.

Um relatório de mercado divulgado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Sinduscon-TAP) mostrou que a cidade teve o lançamento de um empreendimento comercial de 130 salas, de 2018 a maio deste ano. E novos empreendimentos estão sendo construídos.

Segundo o presidente da entidade, Rubens Debs, Uberlândia tem demonstrado uma capacidade de absorver esses empreendimentos de diferentes formas. “A cidade está criando áreas de expansão novas e abrindo mercado para muitas localizações. Estão vindo muitas empresas novas. Nossos negócios de serviços e o agronegócio estão evoluindo muito”.

Apesar do momento de transição econômica, Rubens Debs acredita que o cenário é propício para investir nesse modelo de empreendimento. “Estamos num final de ciclo de muita paralisação econômica. E esse nicho acontece quando o mercado está bastante ativo. Diferente do residencial, em que você muda o produto, mas ele evolui, quando a gente vê lançamentos e investimento de forma precisa. Eu acho que ainda tem mercado. Inclusive a minha empresa está se programando para lançar um”.

Um desses investidores é a empresa Construtora Altti, de Belo Horizonte, que lança um novo empreendimento comercial em Uberlândia. O imóvel será construído na Granja Marileuza e, segundo o presidente da construtora, Alberto Viotti, expectativa gira em torno do porte e o desenvolvimento do bairro.

“A gente fez a sede do Grupo Algar e fomos convidados para o coquetel de lançamento da Granja Marileusa, cinco anos atrás. Com a apresentação do bairro, ficamos encantados com o local, com o futuro promissor do bairro”, disse.

Para fazer esse investimento em Uberlândia, foram várias visitas à cidade observando seu grau de desenvolvimento e pujança, além da contratação de uma pesquisa de mercado. “A gente já estava acreditando no Granja, na parte corporativa. É um bairro novo, perto do aeroporto e pensamos já no futuro”, afirmou Alberto Viotti.

O imóvel terá 196 salas comerciais de tamanhos variados e com preços a partir de R$ 170 mil. O Investimento será de aproximadamente R$ 40 milhões.

Os irmãos Alicino Caetano Júnior e José Emílio Caetano preferiram investir em um ponto num prédio comercial, e montaram um restaurante e cervejaria no Pátio Sabiá. Para eles, o investimento compensou mais do que inaugurar um ponto próprio. “A gente até pensou em um lugar próprio, mas encontrar um imóvel regularizado. Teríamos uma despesa muita grande. Fizemos as contas e vimos que aqui os gastos seriam menores. Veio a oportunidade de inaugurar aqui no Pátio Sabiá e deu certo”, disse José Emílio.

Sobre abrir um ponto comercial fora de um condomínio, os irmãos não descartam a possibilidade. “A gente ainda não pensa nisso. Mas é tudo oportunidade. Não pensávamos em abrir em um shopping, mas diante da dificuldade para encontrar um ponto comercial, acabou que valeu a pena”.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »