31/08/2019 às 08h02min - Atualizada em 31/08/2019 às 08h02min

Praça Sérgio Pacheco é refúgio no Centro de Uberlândia

Espaço foi inaugurado em 1976 e já recebeu diversos eventos culturais

ADREANA OLIVEIRA
Praça Sérgio Pacheco foi inaugurada há 43 anos | Foto: Adreana Oliveira

A praça Sérgio Pacheco foi cenário para uma das sessões de fotos desta entrevista. O lugar foi escolhido por ser um dos pontos mais movimentados da cidade. A proximidade com o Terminal Central de ônibus faz com que, por ali, pessoas de todos os cantos da cidade se encontrem.

Em uma tarde de quarta-feira, sol forte e umidade do ar baixa, o refúgio perfeito é embaixo das sombras de uma árvore, onde estrategicamente encontramos o vendedor de picolés, que se ajeita com seu carrinho enquanto os fregueses escolhem os sabores da estação.

O parque parece estar pacientemente esperando as crianças chegarem no fim da tarde, com a temperatura mais amena, assim como o trenzinho estacionado próximo à calçada.

A praça está mais segura com o posto policial da 91ª Companhia da Polícia Militar, por isso ainda vemos pessoas descansando nos bancos usando uma mochila como travesseiro ou checando as mensagens no celular e fotografando o espaço tranquilamente. Nas quadras de esportes, nesse horário, só um skatista se aventura diante dos amigos, entre um improviso de rap e outro, próximos à pista de caminhada onde simpáticas senhoras passam cumprimentando todos que cruzam seu caminho.

A Sérgio Pacheco já foi palco de inúmeros projetos musicais, como o Arte na Praça e encontro de B-Boys, abriga também a Feira da Gente e, no Natal, ganha uma decoração especial na Casa do Papai Noel. Para além desses eventos, a praça é um espaço que favorece a convivência, contanto que a pessoa esteja disposta a parar, sentir e olhar com mais atenção. Espera-se que, em pouco tempo, o lugar conte ainda com a companhia do Centro Cultural que ficará no prédio do antigo Fórum e faça ainda mais parte da revitalização cultural do nosso Centro.

BURLE MAX
Desde sua inauguração, em 1976, o complexo que formava a praça da Estação Ferroviária de Uberlândia passou por muitas modificações. Batizada inicialmente de Praça São Paulo, do projeto de paisagismo original assinado por Roberto Burle Max (1909-1994), um dos maiores artistas brasileiros, quase nada restou, algo lamentado por muitos uberlandenses.

“Uberlândia conseguiu destruir a obra de um dos maiores paisagistas do mundo, celebrado hoje pela sofisticação e inventividade no uso de espécies brasileiras. Governos conservadores defendem o conceito de que os espaços públicos devem ser controlados e, por isso, os morrotes que ele projetou para isolar o barulho do trânsito foram destruídos, e com eles toda a sua proposta foi para o lixo. Mas para o lixo da história, que está sempre nos lembrando os erros e acertos do passado. No caso, um equívoco monumental”, diz a jornalista e geógrafa Betânia Côrtes.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »