25/07/2019 às 17h39min - Atualizada em 25/07/2019 às 17h39min

Consumidores de Uberlândia contabilizam prejuízos após falhas em rede da Algar

Procon notifica empresa e espera resposta para avaliar medidas; Ministério Público também apura situação

SÍLVIO AZEVEDO
Problemas de internet e na rede de telefonia da Algar Telecom começaram a ser registrados na noite de 2ª feira | Foto: Giovanna Tedeschi
Muitos estabelecimentos amargaram prejuízos com a inoperância dos serviços de telefonia da Algar Telecom nesta semana em Uberlândia e região. Mozart Boaventura Coelho, gerente de um restaurante no bairro Santa Maria foi um dos consumidores lesados. Ele afirmou que, sem telefone, o estabelecimento deixou de receber pedidos.

“Nós temos um faturamento diário entre R$ 6,5 mil e R$ 7 mil com entregas delivery pelo telefone. O problema só não foi maior pois trabalhamos com o iFood. Foi onde fizemos as vendas. Mas a sensação é ruim, ficamos de mãos atadas”, disse.

Quem também teve prejuízo foi a Uber Táxi. De acordo com o diretor financeiro, Sírio Gonçalves Moreira Júnior, a paralisação prejudicou os atendimentos da empresa que, em dias normais, realiza entre 30 e 40 corridas no período, mas com o problema, atendeu somente seis chamados.

“Ficamos sem telefone a partir das 18h da segunda-feira até a manhã de ontem. Deixamos de faturar, mais ou menos, R$ 3 mil com clientes que não conseguiram contato com a Uber Taxi. Nós tivemos que ligar para as empresas e hotéis que temos convênio e deixamos o número de WhatsApp para entrarem em contato. Além de disponibilizar os telefones particulares dos motoristas.”


​O problema que iniciou a partir da noite de segunda-feira (22) também gerou prejuízos a serviços públicos, como chamadas ao Corpo de Bombeiros e à Polícia Militar (PM).

APURAÇÃO
O Ministério Público de Minas Gerais, através da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, informou ao Diário de Uberlândia que vai instaurar um procedimento para apurar os fatos e possíveis prejuízos causados aos cidadãos e empresas. Após a investigação preliminar, serão avaliadas as medidas cabíveis.

Além disso, a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Uberlândia, em ação conjunta com Procons de cidades da região, avaliará as medidas que serão tomadas contra a empresa Algar Telecom por causa da interrupção de serviços de telefonia e internet. As empresas e demais consumidores que se sentiram lesados podem fazer um requerimento diretamente para Algar e solicitar ressarcimento, procurar o Procon da cidade ou um advogado para acionar a empresa judicialmente. 


Um ofício foi enviado pelo órgão para a empresa questionando quais foram as medidas tomadas para minimizar o prejuízo para a sociedade e qual a disposição deles em ressarcir as perdas. De acordo com o superintendente do Procon de Uberlândia, Abatênio Marques, a Algar Telecom já foi notificada para explicar o que causou a interrupção nos serviços.
 
“Abrimos o procedimento administrativo e notificamos o grupo Algar pedindo informações. Estamos coletando informações para saber qual atitude será tomada. É um momento inicial. Temos que ouvir a empresa para tomar as medidas necessárias”, disse.

Ainda segundo Marques, foram feitas muitas reclamações ao órgão através do 151 e no balcão, porém, as queixas não foram oficialmente registradas. Com isso, o Procon deve ir atrás dos consumidores para concluir o registro. A interrupção também afetou telefones de serviços de utilidade pública, como o 193, do Corpo de Bombeiros, e o 190, da Polícia Militar. “Enviamos ofício para todas instituições para saber se tiveram danos e [qual] a extensão”, disse.

Após notificada, a Algar tem 10 dias úteis, a contar a partir de ontem, para responder aos questionamentos. Além de Uberlândia, o problema também atingiu outras cidades do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Centro-Oeste de Minas, interior de São Paulo e outras regiões do país, como Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Na nota de esclarecimento postada pela Algar nas redes sociais é possível identificar reclamações em mais cidades.

Procurada pelo Diário de Uberlândia, a Algar Telecom informou em nota que vai apresentar todas as informações solicitadas, dentro do prazo estabelecido pelo órgão.

ENTENDA O CASO
Consumidores relataram problemas de telefonia durante a noite de segunda-feira (22). A instabilidade que afetou os serviços de internet e telefonia fixa foi causada, segundo a empresa, por problemas em um equipamento de rede. 

Na tarde de terça (23), por volta das 17h30, a Algar informou, por meio de nota à imprensa, que todos os serviços haviam sido restabelecidos. O problema, no entanto, ainda permanecia em alguns locais durante esta quarta-feira (24). 

 
Devido à série de reclamações, os Procons de Uberlândia, Uberaba, Patos de Minas, Ituiutaba, Frutal e Coromandel debatem, de forma conjunta, procedimento a ser adotado contra a Algar Telecom. Serão apuradas possíveis infrações e prejuízos coletivos nas cidades.

“Todas as cidades abriram o mesmo procedimento para apurar no seu local se houve alguma infração por parte da Algar Telecom. Com essa integração, buscamos padronizar os procedimentos e preparar, futuramente, algum material para propor alguma ação coletiva”, disse Abatênio Marques, superintendente do Procon de Uberlândia.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »