15/07/2019 às 16h34min - Atualizada em 15/07/2019 às 16h34min

Professora de Uberlândia recebe comenda por trabalho com educação inclusiva

Cerimônia ocorre nesta segunda (15); Braslíder foi associação responsável pela homenagem

SILVIO AZEVEDO E GIOVANNA TEDESCHI
Com 33 anos de experiência, o trabalho da professora foi voltado à alfabetização e educação inclusiva | Foto: Arquivo pessoal

Júnia Alba Gonçalves tem 52 anos de idade e 33 de trabalho. Integrante de uma família de professores, começou a trabalhar na área da educação aos 14 anos e se aposentou em 2018. Desde o início da carreira, as atividades da professora de Uberlândia se relacionam com alfabetização e educação para pessoas com deficiência e, agora, passam a ser ainda mais reconhecidas por meio da comenda que ela vai receber, nesta segunda-feira (15), pela Associação Brasileira de Liderança, Comenda, Excelência e Qualidade Brasil (Braslider).

“A princípio eu pensei que era até fake news. Eles [a Braslider] procuram lideranças que façam diferença no espaço da comunidade local. Independente se são crianças com deficiência ou não, a aprendizagem tem que considerar as diferenças”, explicou Gonçalves.

A solenidade acontece no Esporte Clube Sírio em São Paulo (SP). A premiação será concedida na categoria educação e reconhece lideranças que tenham transformado a comunidade em que os profissionais estão inseridos. Representantes de diversos estados brasileiros em outras áreas também serão homenageados durante a entrega do título. 

RECONHECIMENTO
A professora aposentada já esteve em Brasília quatro vezes, na Conferência Nacional de Educação (Conae). Ela atuou como delegada de políticas públicas para pessoas com deficiência, representando o Triângulo Mineiro. “Nós promovemos políticas afirmativas para a educação, que foi a necessidade do profissional de apoio. Uberlândia foi a primeira a ter o profissional de apoio. Um aluno meu requereu um profissional na época. Hoje ele está com 15 anos”, contou. 

O artigo 3º da Lei 13146/15 regulamenta o profissional de apoio escolar como "pessoa que exerce atividades de alimentação, higiene e locomoção do estudante com deficiência e atua em todas as atividades escolares nas quais se fizer necessária, em todos os níveis e modalidades de ensino, em instituições públicas e privadas, excluídas as técnicas ou os procedimentos identificados com profissões legalmente estabelecidas”.

Além dos trabalhos na sala de aula, como delegada nas Conaes e ainda mestre em Linguística, a uberlandense recém-aposentada também atuou como conselheira do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) no município e integra a diretoria do Sindicato dos Professores Municipais de Uberlândia (Sinpmu), atuando na defesa dos profissionais da Educação. 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »