01/07/2019 às 16h01min - Atualizada em 01/07/2019 às 16h01min

Prefeitura de Uberlândia lança licitação para iluminação no Glória

Cerca de 400 postes já foram instalados no bairro; restam luminárias e ligações

CAROLINE ALEIXO
Expectativa é de que obras sejam realizadas no prazo de seis meses | Foto: Vinícius Lemos
A Prefeitura de Uberlândia iniciou o processo licitatório para instalação da rede elétrica na região do campus Glória, na zona sul. O edital já está disponível no site da prefeitura e prevê a compra de luminárias e a contratação de mão de obra para o serviço.

Na semana passada, o Diário de Uberlândia divulgou que 400 postes já estavam instalados na área assentada e os moradores aguardavam para que a rede legal estivesse funcionando a partir deste mês.  A secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico havia informado que o custo para instalação de 405 luminárias necessárias para iluminação pública no local seria de aproximadamente R$ 500 mil, mas o valor exato dependia da finalização do edital.

A abertura dos envelopes com as propostas está prevista para o próximo dia 25 de julho, às 13h, na Diretoria de Compras. O valor total do contrato é de R$ 641,384,41 para fornecimento de mão de obra e materiais para execução dos serviços. A partir da escolha da empresa vencedora, a ordem de serviço será assinada para que as obras sejam realizadas no prazo de seis meses.

A visita dos interessados ao local dos serviços pode ser agendada em qualquer dia e horário antes da data de abertura dos envelopes de habilitação. O agendamento deve ser feito diretamente no setor de Assessoria Técnica de Engenharia da pasta de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico, pelo telefone (34) 3239-2453.

REGULARIZAÇÃO
O termo de compromisso para transferência da área do Glória para a Cohab Minas foi assinado em dezembro de 2017 e, com isso, foi dado início ao processo de regularização do bairro.  

A área foi invadida entre o final de 2011 e o início de 2012, quando famílias ligadas ao Movimento Sem Teto do Brasil (MSTB) começaram a chegar ao terreno que pertencia à Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com área de 65,9 hectares. O então assentamento passou a ser chamado de bairro Elisson Prieto e estima-se que cerca de 15 mil pessoas vivam no local atualmente.

O nome do bairro foi escolhido em homenagem ao professor Elisson Cesar Prieto, que fez parte do corpo docente do Instituto de Geografia da UFU e morreu aos 32 anos, em outubro de 2012, vítima de câncer. Ele ajudou nas negociações entre movimentos sociais, governo e UFU para que a área ocupada do campus do Glória fosse destinada às famílias sem-teto.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »