26/06/2019 às 13h42min - Atualizada em 26/06/2019 às 13h42min

Cemig prevê 5 mil cortes de energia com inspeções em Uberlândia

Companhia faz, nesta semana, ação contra fraudes, "gatos" e inadimplência

VINÍCIUS LEMOS
Caso apresentem problemas, equipamentos são trocados por agentes e remetidos a Belo Horizonte | Foto: Vinícius Lemos
Dez equipes a serviço da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) verificam, nesta semana, em Uberlândia, estabelecimentos comerciais e também residências em busca de irregularidades em equipamentos para medição do consumo de energia. As ligações clandestinas, os chamados “gatos”, também serão verificados e suprimidos. Há ainda a previsão de 5 mil cortes feitos por inadimplência até a próxima sexta-feira (28).

As inspeções acontecem desde a segunda (24), focando em locais que apresentaram indícios de problemas no registro do consumo. A Cemig fez levantamentos de uma série de locais que tiveram grande diferença de medições em algum período, além de avaliar denúncias feitas à concessionária e até mesmo verificar suspeitas repassadas por funcionários da estatal em trabalho rotineiro.

Nos locais, os técnicos fazem testes nos padrões dos imóveis para descobrirem qualquer indício de que a medição foi burlada. Caso haja suspeita comprovada, o equipamento é retirado e colocado em uma embalagem lacrada e enviado para laboratórios da Cemig em Belo Horizonte. Em até 20 dias ele será periciado e o dono do estabelecimento poderá acompanhar o teste, desde a abertura do lacre até o resultado final. “Fraudes ou furtos de energia trazem prejuízo na ordem de centenas de milhões de reais e a tarifa poderia ser 5% mais barata caso isso não acontecesse”, afirmou o técnico em arrecadação da Cemig em Uberlândia, Sílvio Teodoro.

O valor estimado pela Cemig de prejuízos nesse sentido chega a R$ 300 milhões. Se realmente for comprovado o furto ou fraudes no sistema de medição, o consumidor pode se ver obrigado a ressarcir o valor não pago em até 36 meses, de forma retroativa.

Durante uma das verificações, um restaurante no bairro Fundinho apresentou medição 30% menor devido a um problema encontrado em uma das três bobinas do medidor. Nesse caso, o equipamento foi substituído e enviado para a capital mineira.

O empresário Raimundo Gonçalves, cuja firma também foi verificada, disse que é importante que a verificação aconteça já que há parceria entre concessionária e a empresa. “Importante andar na linha, Cemig sempre tem olhado por nós e nos ajudado para isso”, afirmou.

PERIODICIDADE
Sílvio Teodoro disse que as inspeções acontecem rotineiramente, mas tendem a ser intensificadas no meio do ano. “Em junho e julho há queda de questões emergenciais trazidas pelo período chuvoso, por exemplo. Isso abre caminho para equipes fazerem essas verificações”, afirmou.

Outro ponto abordado pelo técnico em arrecadação é a questão da segurança, uma vez que mudanças feitas nos aparelhos de medição podem causar descargas elétricas de graves proporções em quem manipula o sistema, além de poder causar problemas à rede, como incêndios, fios partidos e danos em transformadores.

CIM
Outra ação adotada pela Cemig diz respeito à utilização de softwares de inteligência para seleção de alvos e o monitoramento à distância do consumo de grandes clientes. Por meio do Centro Integrado de Medição (CIM), é possível identificar instantaneamente qualquer anomalia no padrão de consumo de energia desses grandes clientes – aproximadamente 13 mil, que representam cerca de 45% do faturamento da Cemig – e enviar equipes de campo para regularização das fraudes.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »