22/06/2019 às 08h40min - Atualizada em 22/06/2019 às 08h40min

Núcleo de soropositivos comemora 20 anos em Uberlândia

Instituição RNP irá oferecer almoço à comunidade e precisa de ajuda para concluir nova sede

MARIELY DALMÔNICA
Edival Cantuário fala sobre os desafios e evolução do trabalho da instituição em Uberlândia | Foto: Mariely Dalmônica
A poucos dias antes de completar 20 anos, o núcleo de Uberlândia da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/AIDS (RNP) irá oferecer um almoço gratuito para quem quiser conhecer a instituição e contribuir com a reforma da nova sede, que deve ser entregue até o fim deste ano. 

O núcleo, que atua desde 26 de junho de 1999 na cidade, foi fundado por idealizadores da causa que tiveram suas sorologias confirmadas. A instituição nasceu dentro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) e ao longo dos anos passou por diferentes locais. 

A segunda sede foi em uma sala no edifício Uberlândia 2000, que ficou pequena para o número de participantes. Depois disso, a instituição mudou para uma casa no bairro Santo Inácio, e nos últimos 15 anos está atendendo no bairro Planalto.

O imóvel é alugado e em breve ficará apenas na história de quem passou pelo núcleo, afinal, um novo terreno, cedido pela Prefeitura de Uberlândia em 2010, está tomando forma para ser a sede da instituição nos próximos anos. A nova sede da casa de acolhimento fica a poucos passos de onde a instituição está atualmente. 

Neste domingo (23), a rede de apoio irá oferecer um evento gratuito com almoço e vendas de produtos, a maioria artesanais e feitos pelos participantes do núcleo, para arrecadar dinheiro para seguir com a obra da nova sede. O almoço começará a ser servido às 11h e será realizado no Gressu, que fica na avenida Sândalo, número 830, no bairro Jaraguá. 

ACOLHIMENTO 
O núcleo de Uberlândia oferece diversas especialidades, como serviços de advocacia, psicologia, homeopatia, nutrição, reiki, serviço social, fisioterapia, grupos de geração de renda, visitas domiciliares e hospitalares, e campanhas pontuais de prevenção. 

Desde que foi criada, a instituição já atendeu mais de 15.000 pessoas nessas diferentes áreas de atuação e mais de 60.000 foram contempladas com palestras. Atualmente, 1.800 pessoas portadoras de HIV estão cadastradas no núcleo do Município. 

“Quando a RNP começou não tinha nem 100 cadastros, com o tempo as pessoas tiveram mais coragem de se unir a gente. Hoje a internet ajuda muito as pessoas a chegarem aqui também”, afirmou Edival Cantuário, presidente da instituição. A rede de acolhimento também atua em parceria com o ambulatório Herbert de Souza, com a UFU e com as unidades de saúde do Município. 

Segundo o Fórum Mineiro de Assistência a Aids, Uberlândia é a terceira maior em números envolvendo HIV em Minas Gerais. “O Município está ótimo em tratamento de Aids, mas aqui a gente alcança o que a Secretaria de Saúde não pode. A gente acompanha no hospital, faz as visitas e o acolhimento, e não temos aquela cara de hospital, é uma casa mesmo, um aconchego”, afirmou Cantuário. 

Neste ano, dois portadores de HIV e membros do núcleo em Uberlândia suicidaram por não aguentar a pressão da sociedade, segundo o presidente da instituição. Para Roberto (nome fictício), portador do vírus HIV, o número de mortes poderia ser maior se esse local de acolhimento não existisse na cidade. “Várias pessoas chegaram aqui a ponto de tirar a própria vida, mas com o nosso aconselhamento elas mudaram de ideia e estão seguindo a vida. Costumo dizer que nós somos como uma gota de água no oceano, mas sem essa gota, o oceano seria menor”, afirmou Roberto, que desde 2.007 integra o núcleo em Uberlândia. 

Para ele, o papel mais importante da instituição é levar informação do jeito certo para todas as pessoas, portadoras ou não do vírus. “Nossa maior preocupação é que essas pessoas sofriam muito no ramo familiar, por isso também temos que abranger quem convive com elas”, disse Roberto. 

Quem deseja conhecer e ajudar a instituição pode ligar nos telefones: 3216-3191 ou 99126-0170, ou ir até a sede, que fica na rua Yá Nasso, número 646, no bairro Planalto. No momento, o núcleo precisa de ajuda e até mesmo mão de obra voluntária para manter a obra da nova sede, que fica na rua Yá Nasso, 376.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »