15/06/2019 às 09h48min - Atualizada em 15/06/2019 às 09h48min

Assuntos financeiros lideram reclamações no Procon de Uberlândia

Quase 30% dos processos instaurados no ano passado estão ligados ao tema

MARIELY DALMÔNICA
Reclamações sobre produtos ocupam o segundo lugar na lista, aponta diretor de fiscalização | Foto: Mariely Dalmônica
Nos últimos três anos, reclamações sobre assuntos financeiros foram as mais registradas na Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Uberlândia. Neste ano, até o fim de maio, dos 4 mil atendimentos em geral, 951 viraram processo, e destes, 241 foram sobre finanças, que envolvem problemas com cartões de crédito, descumprimentos contratuais, cobranças abusivas e negativação indevida junto aos órgãos de proteção ao crédito.

Além disso, em março deste ano, o Procon do Município realizou 870 atendimentos durante o Feirão Limpa Nome Bancário, que foi realizado durante o dia 15 de março. No ano passado, o órgão realizou 9.816 atendimentos no geral, deles, 1.857 viraram processos, o que corresponde a 19,9% dos registros. Desses processos, 551 foram relacionados a assuntos financeiros, ou seja, quase 30% das reclamações que se transformaram em processos estavam ligadas a esse tipo de problema.

De acordo com Luciano Andrade, diretor de fiscalização do Procon de Uberlândia, o ramo de endividamento é muito grande e o setor de assuntos financeiros segue alto por diversos motivos. “Se colocarmos todos os serviços que atendemos lado a lado, é muito alto. A tendência é ser liderança algum tempo, ainda mais em função da crise financeira”, afirmou Andrade. De acordo com o diretor de fiscalização, registros referentes a serviços e produtos também são destaque.

Reclamações sobre produtos ocupam o segundo lugar desde 2016. No ano passado, 519 processos, que envolvem dificuldade de trocar por um novo ou receber o dinheiro de volta do item comprado após o prazo legal de 30 dias de reparo, fizeram com que a categoria ficasse pouco atrás de assuntos relacionados a finanças.

Assim como em 2016 e 2017, assuntos relacionados a serviços privados ocuparam o terceiro lugar na lista dos registros anuais do Procon do Município em 2018. Foram 443 reclamações instauradas, que posteriormente se transformaram em processos. A maioria é relacionada a desentendimentos derivados da relação de consumidores com instituições de ensino, empresas organizadoras de eventos e agências de viagens.

Em quarto lugar, os processos sobre serviços essenciais, que envolvem descontentamentos com operação de fornecimento de energia elétrica, telefonia fixa e celular, se destacam. Foram 192 registros de processos. Depois deles, em quinto, sexto e sétimo lugares estão os assuntos relacionados a habitação, com 99 processos instaurados, saúde com 38 e alimentos, com 15.
 
DADOS                                          2017                   2018                   2019 (até 01/06)
Atendimentos                                 9940                   9816                   4000
Processos                                      2680                   1857                     951
Assuntos financeiros                        806                     551                     241

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »