13/06/2019 às 11h10min - Atualizada em 13/06/2019 às 11h33min

Mandado de busca e apreensão é cumprido contra empresa de cartões em Uberlândia

ValeCard é investigada em suposto esquema de fraude para abastecimento de veículos em prefeitura do Mato Grosso

CAROLINE ALEIXO E IGOR MARTINS
PM esteve no local no início desta manhã | Foto: Igor Martins
Um mandado de busca e apreensão foi cumprido nas dependências da empresa de cartões ValeCard, no Centro de Uberlândia, na manhã desta quinta-feira (13). A empresa é investigada pelo Ministério Público Estadual (MPE) e pela Polícia Civil do estado do Mato Grosso por envolvimento em suposto esquema de fraudes no abastecimento de veículos da Prefeitura de Poconé (MT). 

O cumprimento do mandado contou com o apoio da Polícia Militar (PM) e do MPE local, por meio do Grupo Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Foram expedidos cinco mandados de busca e apreensão pela comarca de Poconé durante a operação denominada “Ouro Negro”, deflagrada pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública da região matogrossense.

Além do mandado em Uberlândia, há apreensões também na Prefeitura de Poconé. Segundo a Polícia Civil, as supostas fraudes teriam sido praticadas entre os anos de 2017 e 2018 a partir da inserção de dados falsos, por meio de registros de abastecimento fictícios da frota. 

As investigações ainda apontam que os carros apresentavam quantidade superior à capacidade do tanque de combustível para o veículo, além de combustível diferente ao utilizado pelos carros. De acordo com o Ministério Público, a empresa teria vencido a licitação para fornecimento dos cartões para os servidores abastecerem os veículos oficiais. Detalhes do eventual envolvimento da empresa não foram informados. 

A apreensão tem como foco documentos, contratos públicos e extração de informações de sistema informatizado, que serão enviados posteriormente a Poconé para prosseguimento das investigações. O Diário entrou em contato com a empresa que, em nota,
esclareceu que não tem ingerência sobre os beneficiários e valores creditados nos cartões, função esta que fica a cargo da empresa ou órgão público contratante.

A ValeCard informou ainda que, embora funcione no formato de autogestão, o seu sistema de pagamentos conta com uma série de mecanismos que visam coibir fraudes.

"No caso em questão, a ValeCard prestou serviços à Prefeitura mato-grossense no período de 12 de junho de 2017 a 12 de junho de 2018. Atualmente, o referido contrato encontra-se bloqueado devido ao fim do período de vigência, e não há nenhum outro contrato ativo com a Prefeitura de Poconé. A ValeCard está colaborando com as autoridades e fornecendo todas as informações e documentos solicitados. Por fim, a empresa coloca-se à disposição para eventuais esclarecimentos", afirmou.

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »