06/06/2019 às 16h49min - Atualizada em 06/06/2019 às 18h21min

​Órgãos vistoriam prédio e descartam inclinação após boato viralizar em Uberlândia

Construtora do empreendimento residencial na avenida Sílvio Rugani, no Cidade Jardim, registrou boletim de ocorrência para apurar crime cibernético

CAROLINE ALEIXO
Primeira foto compartilhada estava com inclinação proposital, apontam órgãos | Foto: Reprodução
Uma imagem que mostra um prédio residencial supostamente inclinado no bairro Cidade Jardim, em Uberlândia, está sendo compartilhada nas redes sociais e em aplicativos de mensagens desde a noite desta quarta-feira (5), com a informação de que o empreendimento estaria interditado e com risco de cair. Na tarde desta quinta, a construtora acionou os órgãos competentes para fazer uma vistoria, sendo descartada a inclinação e qualquer anomalia na estrutura.

O empreendimento Quinta do Praia está localizado próximo ao Praia Clube, na avenida Sílvio Rugani, e permanece em obras. A Defesa Civil confirmou que esteve no local, junto ao Corpo de Bombeiros e representantes do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG), e que todos os projetos estão de acordo, não sendo constatado nenhum problema estrutural, tampouco risco de desabamento.

A reportagem do Diário conversou com o engenheiro responsável pela obra, Anderson Guerra, que acompanhou a vistoria também com uma equipe de topografia para fazer o laudo de medição e confirmar que não há nenhum deslocamento no prédio. Disse ainda que a notícia falsa gerou transtornos para a empresa e pessoas que moram ou trabalham na região.

“Estamos em obras ainda, finalizando o acabamento para poder entregar. Isso gera um transtorno muito grande porque não deixa progredir com as vendas e o pessoal que já comprou fica muito preocupado. Tem uma escola ao lado, de crianças, e foi só metade estudar hoje. Olha o transtorno que a pessoa [ao compartilhar a informação] criou”, comentou o engenheiro.

CRIME
A Incorporadora e Construtora Tricon está tratando a situação como crime cibernético e registrou dois boletins de ocorrência, na Polícia Federal, e na Polícia Civil, para apurar os fatos e tentar identificar os responsáveis pela disseminação do boato.

As primeiras informações levam em consideração que a foto compartilhada estava com inclinação proposital (veja acima). Na segunda imagem, a qual a reportagem teve acesso por meio dos órgãos que estiveram no local, o prédio está sem deslocamento, conforme referência do poste de iluminação. 

Em nota, a empresa disse que os boatos infundados foram divulgados e compartilhados em diversos canais de mídias e grupos WhatsApp de modo oculto, sem qualquer lastro de autoria, fonte, data ou veracidade, não deixando dúvidas de que se tratam de fake news.

Salientou que as acusações não procedem uma vez que o empreendimento está de acordo com todas as normas técnicas de construção civil, estando em dia com alvará e documentações, sem qualquer pendência junto aos órgãos de fiscalização.

Assim que teve conhecimento da situação, a Tricon solicitou a elaboração de Laudo Técnico Complementar a fim de garantir e constatar a segurança estrutural da empreendimento. Segundo o documento, a torre está dentro da normalidade, sem sinais de inclinação em nenhuma das faces, fundo e lateral.

“A falsa notícia se fundamenta em uma foto amadora que utiliza como referência um poste de iluminação pública, que se apresenta ligeiramente inclinado. Dessa forma, a imagem acaba por gerar a falsa sensação de que o prédio está inclinado, quando na verdade o que está fora do eixo correto é o poste”, descreveu em nota.  

Por fim, assegurou que já acionou as autoridades policiais e judiciais competentes para que sejam tomadas as providências cabíveis a fim de identificar e responsabilizar, civil e criminalmente, aqueles que criaram, divulgaram e compartilharam tais informações difamatórias.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »