31/05/2019 às 13h14min - Atualizada em 31/05/2019 às 15h34min

Sindicatos questionam reajuste salarial de 3,5% para servidores de Uberlândia

Entidades organizam protesto e paralisação para a próxima segunda-feira (3); Prefeitura se manifestou sobre a situação

VINÍCIUS LEMOS
Presidente do Sintrasp, Ronaldo Branco, questiona índice utilizado pela Prefeitura (Vinícius Lemos)
Sindicatos dos servidores do Município de Uberlândia afirmam que não houve diálogo com o poder público para a determinação do índice de reajuste salarial de 3,5%, anunciado pelo prefeito Odelmo Leão nesta semana. Representantes do funcionalismo também criticam o indexador usado pela Prefeitura para justificar o percentual de aumento. Uma manifestação foi convocada para a próxima segunda-feira (3), na Câmara de Uberlândia, em protesto contra a situação.

De acordo com as presidências dos sindicatos dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Uberlândia (Sintrasp) e dos Professores Municipais de Uberlândia (Sinpmu), houve uma conversa inicial em que o percentual pedido pelos representantes dos servidores era de 8,63%, baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Entretanto, ainda segundo os sindicatos, uma outra reunião para ouvir uma contraproposta do Município não aconteceu, encontro que era esperado antes do anuncio feito por Leão. “Havia uma fala de que o governo iria estudar a proposta de 8,63%, baseada em perdas de 2016, 2017 e 2018. A gente quer entender que a Prefeitura passa por um momento difícil, agora, os dois sindicatos estão abertos à discussão e poderia haver um consenso”, afirmou o presidente do Sinpmu, Edeilson Pereira.

O presidente do Sintrasp, Ronaldo Branco, explicou que o reajuste pedido ao Município se baseia na inflação acumulada desde janeiro de 2016, fixada pelo IPCA, chegando a 13,52%. Entretanto, no início de 2018, houve um reajuste na ordem de 4,5%, o que foi abatido. “Falávamos para haver tolerância, só que a categoria está descontente. A administração usa [em 2019] o Índice Nacional de Preços ao Consumidor [INPC] porque é conveniente, já que o acumulado desse indexador foi de 3,43% de janeiro a dezembro de 2018. Mas no ano passado, o IPCA foi usado para o reajuste”, disse Branco.

Na tarde de segunda-feira (27), o prefeito Odelmo Leão anunciou o reajuste, que passa a valer em junho. O anúncio foi divulgado na página do Instagram da Prefeitura de Uberlândia e também no Facebook. O aumento salarial será aplicado para servidores efetivos, comissionados, contratados e terceirizados do Município. De acordo com o prefeito, a decisão foi tomada após um longo estudo da administração, que levou em conta a atual situação orçamentária do Município.

Além do reajuste salarial, também foi autorizado o pagamento do vale-alimentação relativo aos meses de fevereiro, março e abril de 2019. O benefício começou a ser creditado na quarta-feira e a promessa era que esse pagamento seja finalizado nesta sexta (31).

MANIFESTAÇÃO
Sintrasp e Sinpmu convocaram servidores para uma paralisação na próxima segunda (3). O objetivo é protestar contra o índice estabelecido pelo Município para reajuste dos salários do quadro da Prefeitura. Ao mesmo tempo, está marcada uma manifestação no plenário da Câmara de Vereadores, também para a segunda (3), durante a primeira sessão ordinária do Legislativo no mês de junho. A concentração acontecerá às 9h na própria Câmara.

Após o ato, serão feitas deliberações entre os servidores sobre as próximas ações em relação à discordância do reajuste salarial proposto. “Uma conversa com representantes dos servidores já seria um passo. É cumprir o que foi prometido, que iria haver negociação”, disse o presidente do Sinpmu, Edeilson Pereira.


A Prefeitura de Uberlândia esclareceu que, em reunião, anunciou ao Sintrasp que já estavam sendo realizados amplos estudos técnicos para definir o reajuste do salário dos servidores, com base na atual situação orçamentária do município. Na oportunidade, também foi explicado que o índice percentual de reajuste seria anunciado ainda durante o mês de maio. O Município reitera que o reajuste respeita as condições financeiras atuais e é superior ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2018 – acumulado em 3,43% de janeiro a dezembro.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »