17/05/2019 às 15h22min - Atualizada em 17/05/2019 às 15h22min

Motoristas de Uberlândia reclamam de atraso na entrega do CRLV

Demora está relacionada à alta demanda; cobrança começa em agosto

MARIELY DALMÔNICA
Renato quitou o IPVA e ainda não recebeu o documento | Foto: Mariely Dalmônica
Mesmo com o Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA), o seguro obrigatório e o licenciamento do veículo pagos, alguns moradores de Uberlândia ainda não receberam o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) referente a 2019. Alta demanda pode ter gerado atraso, segundo o delegado chefe da 16ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), Helder Carneiro. Ele disse que os documentos serão entregues dentro dos respectivos prazos (depende do final da placa).

Desde que comprou um carro, a advogada Mariane Vital Ferreira paga os documentos do veículo em dia. Neste ano, ela parcelou em três vezes o IPVA, que foi quitado em meados de março. “Eu acostumei a receber mais rápido nos outros anos, já era para ter chegado. Meu pai está na mesma situação”, disse.

A empresária Ana Maria Teixeira, que também pagou a documentação parcelada, chegou a pesquisar se estava com alguma pendência no site do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG). “Está tudo certinho. Essa semana eu estava na fila do banco e ouvi as pessoas falando sobre esse atraso, está acontecendo com muita gente.”

Neste ano, o licenciamento de 2018 perderá a validade só no fim de julho. Os veículos registrados em Minas Gerais com final de placas 1, 2, 3, 4 e 5 deverão renovar o documento até 31 de julho, e os veículos de placas final 6, 7, 8, 9 e 0, até 31 de agosto.

Segundo o delegado, os licenciamentos começaram a ser emitidos logo no fim de março, quando venceu o prazo de pagamento, e o atraso pode ser consequência da alta demanda. “O volume de emissão é muito grande. Quem ainda não recebeu pode verificar no site do Detran se existe algum impedimento”, afirmou Carneiro.

No site é possível consultar a situação do veículo, com informações de débito e pendências cadastrais. Ainda segundo o delegado, caso esteja tudo certo, o documento chegará antes do prazo de exigência.

De acordo com delegado, aqueles que não receberam os documentos e precisam do CRLV atualizado podem comparecer na avenida Gabriela Junqueira de Freitas, 333, bairro Jardim Patrícia, e buscar informações no guichê de emissão do CRLV. O documento é emitido no mesmo dia.

O tatuador Renato Gomes terminou de pagar o IPVA de 2018, que estava atrasado, e o de 2019, em março, e como não recebeu o documento foi a Ciretran solicitar. “Fui pela manhã fazer o pedido e à tarde para buscar”, afirmou Gomes, que queria evitar o risco de ser multado por não estar portando o documento atualizado.

O CRLV é enviado, com Aviso de Recebimento (AR), pelos Correios, para o endereço cadastrado no Detran e é preciso alguém para assinar na hora da entrega. Após três tentativas ou caso o endereço esteja desatualizado, o documento é devolvido para Unidade de Atendimento Integrado (UAI), que fica no Pátio Sabiá, na avenida Bélgica, 1220, bairro Tibery.
 
ARRECADAÇÃO
A previsão de arrecadação da Receita Estadual com IPVA 2019 em Uberlândia é de R$  266.083.633,04, e até agora foram recebidos R$ 204.111.507,11. Esse montante é dividido em 20% para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que promove o financiamento da educação básica pública, outros 40% vão para o Estado e 40% para o Município em um caixa único, sem uma destinação específica.

“A aplicação dos recursos, tanto no Estado quanto no Município são nas políticas públicas, como saúde, educação e segurança”, afirmou Pedro Antônio Alves, chefe da Administração Fazendária. Já o seguro obrigatório (DPVAT) é destinado ao pagamento de indenização às vítimas de acidente de trânsito.

Segundo o chefe da Administração Fazendária, o contribuinte que ainda não se regularizou, pode efetuar o pagamento. “Ele pode ir direto ao banco. Como o IPVA está vencido, a multa já é fixa de 20%. Se ele não tiver condições, pode fazer o parcelamento pelo site da Fazenda”, disse Alves.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »