27/04/2019 às 09h00min - Atualizada em 27/04/2019 às 09h00min

Litro da gasolina sobe e passa dos R$ 5 nos postos de Uberlândia

Aumento é ligado ao reajuste aplicado nesta semana nas refinarias

VINÍCIUS LEMOS
Tanto o preço da gasolina, quanto o do etanol sofreram reajustes em postos nesta semana | Foto: Wallace Torres
O litro da gasolina voltou a ultrapassar a casa dos R$ 5 nesta semana em Uberlândia. Contudo, em levantamento feito em postos pelo Diário de Uberlândia nesta sexta-feira (26), os valores cobrados pelo combustível variaram até R$ 0,44. O preço etanol também apresentou grande variação, de R$ 0,42. Os aumentos estão ligados ao reajuste aplicado nesta semana nas refinarias.

Informação recente do sindicato que representa os revendedores de combustíveis em Minas Gerais aponta que o município tem a segunda maior concentração de postos por habitante do Estado. Isso, entretanto, não refletiria exclusivamente nos preços locais, de acordo com economista consultado pela reportagem.

Foram verificados 12 postos nas regiões leste, central e oeste de Uberlândia. O preço mais alto encontrado pelo litro da gasolina foi de R$ 5,09 e o mais baixo, R$ 4,65. Já em relação ao etanol, o valor por litro mais caro encontrado foi de R$ 3,49, enquanto o mais barato era comercializado a R$ 3,07. Existe a informação que os preços mais baixos ainda serão reajustados nos próximos dias.

Os recentes aumentos de combustíveis em Uberlândia aconteceram a partir de quarta-feira (24) e estariam ligados ao reajuste de 2,04% nas refinarias do País, aplicado na terça (23). A informação foi dada por pessoas ligadas aos postos consultados pelo Diário de Uberlândia. Nenhuma entrevista foi dada formalmente, como é comum nesse tipo de reportagem.

A primeira vez que o litro da gasolina ultrapassou a casa de R$ 5 na cidade foi durante a greve dos caminhoneiros, entre o fim de maio e o início de junho de 2018.

MOTORISTAS
O motorista Miguel Araújo disse que já não fica surpreso com os aumentos dos combustíveis na cidade desde o ano passado. “Está caro, claro, mas desde o ano passado, quando a gasolina chegou a R$ 5, eu não me assusto com mais um aumento. Pesa no bolso, mas eu preciso [do carro] para o meu trabalho, como que faz?”, disse.

O entregador João Cléber Minoto disse que tem procurado postos mais baratos, na medida do possível. “Nesta semana, quando eu percebi que tinha aumentado, não imaginava que poderia chegar a esse preço, mas como ando muito, procurei um posto mais barato antes do fim de semana”, afirmou.
 
UBERLÂNDIA
Dados do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro) aponta que em Uberlândia há 142 postos de combustíveis ativos ou inativos, ou seja, haveria um revendedor para cada 4.731 habitantes no município. Isso colocaria Uberlândia no segundo lugar na concentração de postos por habitante no Estado. O primeiro colocado, segundo a Minaspetro, é Uberaba, que tem 81 postos, um para cada 4.052 habitantes. A capital, Belo Horizonte, tem 9.244 habitantes para cada um dos 273 postos.

Ao contrário do que possa parecer, a alta concentração de postos, no entanto, não interfere na definição do preço do combustível aplicado na cidade. “Essa conta não é um indicador que diz muita coisa. Muitas dessas pessoas podem não ter carros. A conta correta é: quantos carros há por postos em Uberlândia?”, disse o economista Benito Salomão.

De acordo com a Receita Estadual, a frota tributável é de 387,5 mil veículos. Sendo assim, haveria a concentração de 2.728 automóveis para cada posto de combustível em Uberlândia. Essa concentração é que demandaria mais ou menos os revendedores locais.

Ainda de acordo com a análise de Salomão, os preços de Uberlândia seguem o de outras cidades mineiras e são mais caros que em outros Estados pela tarifação do Governo de Minas Gerais. “O combustível é caro por característica do mercado, porque há um monopólio. Só a Petrobras extraindo, refinando, evidentemente a gasolina vai sair mais cara. De qualquer forma, em Minas, o ICMS também é mais caro”, disse o economista.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »