23/04/2019 às 09h11min - Atualizada em 23/04/2019 às 09h11min

Varejo de Uberlândia teve crescimento tímido durante a Semana Santa

Alta nas vendas de ovos e peixe foi considerada positiva para período

VINÍCIUS LEMOS
Mesmo que ainda não muito expressivas, vendas de ovos foram consideradas positivas para o setor | Foto: CDL Campos/Divulgação
Ainda que tenha registrado uma variação pequena, a Semana Santa foi considerada um período positivo de vendas de chocolates e peixes no varejo de Uberlândia. Mesmo não havendo expectativa de grande crescimento, na maior parte dos estabelecimentos com os quais o Diário conversou nesta segunda-feira (22) foi registrado aumento de vendas. Até quem igualou o volume de negócios de 2018 disse estar satisfeito com o resultado.

À frente da Associação Mineira de Supermercados (Amis) em Uberlândia, o empresário Milson Borges disse que em suas lojas as vendas de chocolates, cujo carro chefe são os ovos de Páscoa, cresceram 2% até o domingo (21). Ele esperava um resultado ligeiramente maior, mas o incremento da venda ficou próximo do que o varejo havia crescido no primeiro trimestre de 2019, cuja variação foi positivo de 2,5% a 3% em relação a igual período de 2018. “Foi bom o crescimento, principalmente se pensarmos que se tratam de produtos de grande sazonalidade”, afirmou.

Em um supermercado no bairro Roosevelt, o gerente de compras Valdemir Reis explicou que as vendas ficaram dentro da expectativa. Ele não revelou números, mas disse que houve melhora no comércio em relação a 2018 em ovos, barras e bombons de chocolate. “Foi o que esperávamos, se a gente considerar a venda até no domingo de Páscoa”, disse.

O estoque de chocolates 15% maior que no ano passado na loja gerenciada por Cleivon Guerra foi quase todo vendido. Na manhã de ontem ele ainda terminava de calcular o quanto conseguiu de crescimento de maneira geral no período. “Maioria dos ovos de Páscoa foi vendida. O que sobrou deve ser recolhido pela indústria”, explicou.
 
SOBRAS E PROMOÇÕES
O que vai variar bastante é se haverá ou não promoções em ovos de Páscoa não vendidos no período que antecedeu o dia 21. A maior parte dos mercados ainda estava em contato com fabricantes para saber aqueles que iriam recolher os chocolates e os que fariam promoções para venda ainda nesta semana.

“O que fica dos ovos de Páscoa, a maioria das indústrias aceita devolução ou conseguimos fazer negociações com fornecedor e fazemos promoções. Mas não passa desta semana, pois perde o sentido e o atrativo”, afirmou Milson Borges. Cleivon Guerra, por outro lado foi categórico com relação ao supermercado que gerencia e por lá as estruturas de exposição dos ovos seriam desmontadas. “A indústria prefere levar embora e se trata de estratégia de mercado para não queimar o produto e perder preço”.
 
PEIXARIA
Sem registrar crescimento nas vendas de peixes na Semana Santa, uma peixaria do bairro Tibery informou que também não teve queda em relação a 2018. “Foi dentro da nossa expectativa, não esperávamos vender mais nesse ano”, afirmou o empresário Domingos Pires.

O bacalhau normalmente considerado tradicional para o período já não é o carro-chefe de vendas e, pelo levantamento de Pires, a tilápia e o surubim foram as espécies de maior saída na última semana. Entre os supermercados, a venda de peixes também seguiu a tendência de substituição do bacalhau por outros mais baratos, ainda que em parte dos estabelecimentos os preços do peixe mais tradicional deva reduzir nas próximas semanas devido à diminuição da procura.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »