30/01/2019 às 07h53min - Atualizada em 30/01/2019 às 07h53min

Consórcio vence licitação para ampliar aeroporto

Proposta vencedora, de R$ 65,3 milhões, é avaliada pela Infraero

VINÍCIUS LEMOS
Aeroporto Tenente Coronel Aviador César Bombonato registrou crescimento no número de passageiros em 2018 | Foto: Núbia Mota
Um consórcio formado por três empresas foi o vencedor da licitação para ampliação e modernização do terminal de passageiros do Aeroporto Tenente Coronel Aviador César Bombonato, em Uberlândia. Mesmo que o valor esperado para custeio das reformas fosse de R$ 50 milhões, a proposta vencedora foi de R$ 65,3 milhões. Ainda não há previsão para o início das obras por conta da análise da documentação do grupo que conseguiu o arremate. Em todo o ano passado, passaram cerca de 1,1 milhão de passageiros no terminal, quase 3% a mais do que em 2017.

De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a licitação para contratação dos serviços de engenharia para desenvolvimento dos projetos básicos, executivos e obras de reforma, ampliação e modernização do terminal de passageiros do Aeroporto de Uberlândia foi aberta em 20 de dezembro de 2018, sendo que a data para disputa foi 25 deste mês. O consórcio formado pelas empresas Transvias Construções e Terraplanagem Ltda, Fernandes Arquitetos Associados Sociedade Simples e Empresa Brasileira de Engenharia de Infraestrutura LTDA (Ebei) foi o vencedor. No momento, a proposta e a documentação de habilitação do consórcio encontram-se em análise pela Comissão de Licitação da Infraero.

Nove propostas foram apresentadas na licitação, que tinha o objetivo de obter o menor preço pelos serviços. No entanto, a proposta vencedora chamou a atenção por ser uma das maiores apresentadas. O motivo disso ter acontecido não foi explicado pela Infraero, apesar da solicitação da reportagem do Diário de Uberlândia.
A obra vai ampliar em 67% o terminal, que passará dos atuais 3.325 m² para 5.525 m². A sala de embarque será expandida de 329 m² para 824 m², já a sala de desembarque passará a ter 687 m² contra os atuais 348 m².

Além disso, o terminal ganhará mais áreas comerciais, passando de 293 m² para 442 m², um aumento de 51%. A estimativa da Infraero é aumentar em 50% a capacidade de recebimento de passageiros, que passaria de 1,98 milhão para 3 milhões ao ano.

MAIS OBRAS

A reforma da pista de pouso e decolagem foi finalizada em novembro passado ao custo de R$ 7,15 milhões. A Infraero informou ao Diário de Uberlândia que foi feito o recapeamento total do pavimento e correção parcial da geometria. A obra durou aproximadamente oito meses. Ainda de acordo com a empresa de infraestrutura aeroportuária, a melhoria vai “aperfeiçoar a condição operacional e de segurança das operações, além de diminuir a possibilidade de fechamento em caso de condições adversas, já que os trabalhos também irão aprimorar o escoamento da água”. Também foi realizada a adequação do balizamento luminoso da pista, ao custo inicial de R$ 3 milhões.

Sobre a construção do terminal de cargas, ele continua embargado no Tribunal de Contas da União. Em julho de 2018, o Município fez questionamentos sobre o processo licitatório, uma vez que tem interesse na municipalização do terminal, alegando que faltam investimentos federais no aeroporto. Enquanto não há uma decisão no TCU, o processo para escolha da empresa para construção do terminal segue suspenso. O projeto, que vai gerar investimentos da ordem de R$ 23 milhões, prevê uma concessão comercial de área com 45 mil metros quadrados para exploração da atividade pelo período de 25 anos. O complexo logístico de Uberlândia poderá ser alfandegado, impulsionando ainda mais o comércio exterior da região. O preço mínimo mensal previsto em edital é de R$ 30 mil, além de um adicional de preço fixo de R$ 150 mil.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »