29/01/2019 às 07h54min - Atualizada em 29/01/2019 às 07h54min

Prefeitura liga alerta contra nova epidemia

MARIELY DALMÔNICA
Marcelo Sinicio espera que notificações de dengue cresçam até o fim do mês | Foto: Valter de Paula/Secom PMU
Após registrar 601 notificações de dengue só nas três primeiras semanas de janeiro, a Prefeitura de Uberlândia lançou, na tarde de ontem, uma campanha de mobilização e combate ao Aedes aegypti. Na ocasião, o prefeito Odelmo Leão reuniu profissionais de saúde e representantes de instituições para reforçar algumas medidas de prevenção para o município. A preocupação está com a possibilidade de uma epidemia da doença neste ano.

A última epidemia em Uberlândia foi registrada em 2016, quando cerca de 13 mil casos de dengue foram notificados. “É um momento atípico. As chuvas e o calor estão acima do normal. Temos que defender o que é nosso, inclusive a nossa vida”, afirmou o prefeito.

Segundo Marcelo Sinicio, médico da Vigilância Epidemiológica (Vigep), a cidade está em sinal de alerta vermelho. Em 2016, 352 casos foram registrados no mês de janeiro, número inferior ao já computado neste ano. “Devemos terminar o mês com mais casos. Um fator de alerta é que temos, no País, a circulação do vírus 2, um tipo que faz com que os sintomas do vírus 1, por exemplo, se manifestem com ainda mais severidade”, afirmou.

RESIDÊNCIAS

Mais de 677 mil imóveis foram visitados pelo Programa de Combate da Dengue do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) no ano passado, mas segundo o coordenador do programa, José Humberto Arruda, 30% dos imóveis da cidade estavam fechados e sem habitantes. “Muitos focos ficam pendentes. As pessoas sabem que o mosquito da dengue se reproduz em água parada, está faltando uma postura de atitude, levantar do sofá e tirar aquele objeto do quintal”, disse.
Ainda segundo Arruda, os mosquitos estão criando resistência ao veneno, e mesmo com a passagem do fumacê pela cidade, é fundamental fazer o descarte correto de lixo e se livrar de objetos que acumulam água em casa e no trabalho.

Nos próximos meses, outras ações podem ser implantadas pela Prefeitura, como o uso de drones para encontrar calhas entupidas com possíveis focos do mosquito. No último ano, a equipe do Programa de Controle da Dengue realizou quatro pesquisas nos meses de janeiro, abril, agosto e outubro para o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). A conclusão foi que mais de 80% da infestação ocorreu dentro das residências.
 
AÇÕES REALIZADAS EM 2018

Imóveis pesquisados para o LiRAa - 49.936
Controle de Aedes - 677.383
Solicitação via telefone - 5.174
Bloqueio ou suspeita de dengue - 41.930
Pontos estratégicos - 9.268
Terrenos baldios - 29.100
Imobiliárias - 3.652
UBV pesado, fumacê, epizootias - 3.975
Controle biológico/peixes - 1.117
Imóveis cadastrados - 1.702
Imóveis abandonados - 1.435
Caixas d’água vedadas - 113
Pneus coletados - 255.137
Monitoramento ovitrampa - 20.113
Escolas visitadas - 487
Atividades de mobilização social - 356
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »