24/01/2019 às 07h49min - Atualizada em 24/01/2019 às 07h49min

PM troca o comando em quatro batalhões

VINÍCIUS LEMOS
Começou ontem a troca de comandos de parte dos batalhões da 9ª Região da Polícia Militar. O primeiro foi 53º BPM, em Araguari, e na próxima terça-feira (29), os três batalhões em Uberlândia também terão a passagem de comandos, procedimento que é comum e incentivado pela corporação, como explicou o comando da 9ª RPM.

O novo comandante do 53º BPM em Araguari é o tenente coronel João Romeu Mendonça, que anteriormente foi aspirante em Betim e atuava como chefe da seção de articulação operacional na 7ª região da PM. Ele vai substituir o tenente coronel Adriano César Ribeiro Araújo, que estava à frente do batalhão desde janeiro de 2016. Ele segue agora para a Assessoria de Relações Institucionais da PM, em Belo Horizonte. A cerimônia de troca de comando aconteceu na manhã desta quarta em salão no Centro de Araguari.

Em Uberlândia, as passagens de comandos dos três batalhões irão acontecer ao mesmo tempo, em cerimônia marcada para o dia 29 de janeiro, no center Convention, bairro Tibery,a partir das 9h. Os comandantes do 17º e 32º batalhões, respectivamente, tenente coronel Ailton Donisete e tenente coronel André Márcio entrarão para o quadro de reserva da polícia militar mineira e por isso serão substituídos em suas atribuições à frente das unidades, nas quais estavam desde maio de 2017.

Assume o 17º BPM o tenente coronel Wesley Rodrigues Rosa, que anteriormente, como major, atuava na seção de Planejamento Operacional na 9ª RPM, como sede em Uberlândia. Enquanto no 32º BPM, o tenente coronel Sandro Heleno assume o comando. Ele vem do 13º BPM em Belo Horizonte, onde era subcomandante.

No 9º Batalhão de Policiamento Especializado (BPE) o major Flávio Umberto de Lira deixa o trabalho que desenvolvia na unidade desde 2015. Em seu lugar ficará o tenente coronel Terence Floriano Guimarães, que tinha como cargo a chefia do Estado Maior da 9ª Região da Polícia Militar.

O comandante da 9ª RPM, coronel Cláudio Vitor, explicou que a troca de comandantes ajuda na renovação do trabalho em cada unidade. A escolha dos comandantes passa por uma triagem do próprio comando da Região. “São disponibilizados nomes e nessa relação analisamos o perfil e o tipo de trabalho a ser desenvolvido no batalhão. As trocas são interessantes para oxigenação e implementação de trabalhos diferentes nas unidades da PM”, afirmou Cláudio Vitor.



 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »