17/01/2019 às 08h05min - Atualizada em 17/01/2019 às 08h05min

Período de férias exige cuidado com as crianças

A maior causa de acidentes nessa faixa de vida são as quedas, seguidas de queimaduras

NÚBIA MOTA
Samuel quebrou o braço pela terceira vez e passa as férias se recuperando | Foto: Divulgação
Samuel Teodoro fez 13 anos no dia 1º deste mês, está em férias escolares e com uma bicicleta nova, presente de Natal. Algo normal para um menino dessa idade, se não fosse o fato dele estar em recuperação por ter quebrado os braços pela terceira vez em menos de dois anos. Ele faz parte de uma estatística a qual o grupo em que se enquadra é campeão em internação de crianças.

Segundo a ONG Criança Segura, as quedas correspondem a 46% dos acidentes, seguidas de queimaduras (18%), ocorrências em trânsito (11%) e intoxicação (3%). De acordo com dados do DataSUS, os acidentes com crianças são também a principal causa de morte entre 0 e 14 anos de idade no Brasil. Todos os anos, cerca de 3,7 mil meninos e meninas dessa faixa etária morrem e outros 113 mil são hospitalizados devido aos acidentes.

O coordenador técnico da equipe de enfermagem de uma empresa que atua na área de urgência e emergência médica em Uberlândia, Hebert Tobias, alerta que, neste período de férias, quando as crianças ficam mais tempo em casa, todo cuidado é pouco para evitar ocorrências. “Em casa, as crianças estão mais sujeitas a acidentes como queimadura, quedas e até mesmo intoxicação com algum produto químico. Por isso, é sempre bom os pais estarem atentos para prevenirem esses acidentes e também preparados, caso eles ocorram”, disse Hebert.

As dicas do profissional para evitar os acidentes é deixar as crianças longe de locais escorregadios, escadas, fogão, tomadas, produtos de limpeza, aparelhos domésticos, eletrônicos e piscinas, principalmente quando não estão sendo monitoradas. Caso a família viaje nas férias, Hebert reforça a importância do uso das cadeirinhas e cintos de segurança, e ainda que os pais evitem deixar os filhos sozinhos em locais desconhecidos, especialmente em praias e clubes. “Caso ocorra algum acidente, é relevante que os pais mantenham a calma, tenham noção de como proceder com os primeiros socorros, ligar para o serviço de emergência e aguardar ajuda. No caso de quedas, por exemplo, tentar imobilizar a criança até que o atendimento de urgência chegue ao local é o mais indicado. O atendimento rápido e profissional garante menor risco de agravamento do quadro e melhor recuperação do paciente”, afirmou Hebert Tobias.

De acordo com o pai de Samuel Teodoro, o vendedor Carlos Teodoro, hoje em dia os pais ficam na dúvida se deixam os filhos brincarem na rua, correndo o risco de se machucar, ou em casa, sedentários e envolvidos apenas com jogos eletrônicos ou smartphones.  A primeira vez que o filho dele quebrou o braço foi no Natal de 2017, durante uma brincadeira com bola. Precisou passar por uma cirurgia no membro direito. Seis meses depois, em junho, ele quebrou o braço esquerdo, quando apostava corrida com os amigos e, há um mês, antes mesmo de recuperar da segunda cirurgia, ganhou uma trombada durante uma partida de futebol, quebrou novamente o braço esquerdo e foi mais uma vez para o centro cirúrgico.  Hoje, Samuel está com uma barra de titânio no braço e com consulta marcada este mês para avaliação. “Nessa idade que o Samuel está é muito complicado, porque ainda tem outros problemas. Ao mesmo tempo que ele quer brincar, soltar pipa, andar de bicicleta, jogar bola, ele já está querendo também namorar.  E criança acha que é inquebrável. Como ele ainda está com o braço em recuperação, pedi para ele evitar pelo menos o futebol por enquanto”, disse Carlos.
 
ALGUMAS DICAS PARA EVITAR ACIDENTES COM CRIANÇAS
  • Evite cordões, roupas ou objetos em berço que possam provocar estrangulamento ou engasgos
  • Supervisione as refeições de crianças pequenas
  • Utilize o cinto de segurança dos carros nos acentos compatíveis para cada idade
  • Verifique a segurança dos brinquedos e a indicação de idade nas embalagens
  • Instale proteção nas escadas, janelas, sacadas e terraços
  • Evite o acesso à cozinha e área e serviço, onde mais comumente ocorrem os acidentes com queimaduras e intoxicações
  • Utilize calçados confortáveis e antiderrapantes
  • Nunca deixe crianças sozinhas em piscinas, clubes, rios ou mar. Utilize equipamentos de segurança
  • Não estimule o uso de medicamentos
  • Mantenha as embalagens originais dos produtos e, em caso de acidentes com esses, leve a embalagem com a criança para o atendimento de emergência para facilitar a identificação de componentes

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »