16/01/2019 às 07h50min - Atualizada em 16/01/2019 às 07h50min

Edital para projeto de obras sai em fevereiro

Lançado em 2012, espaço ainda precisa de sistema de esgoto e energia

FERNANDA PARANHOS
Lançado em 2012, Polo Tecnológico Sul segue sem infraestrutura para instalação de empresas | Foto: Jorge Alexandre Araújo
A Prefeitura de Uberlândia pretende lançar até o final de fevereiro um edital de licitação para elaboração do projeto de infraestrutura do Polo Tecnológico Sul. A informação foi confirmada ao Diário de Uberlândia pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Gestão Estratégica, Raphael Leles, que não detalhou prazos para a conclusão do processo.

O Polo Tecnológico Sul de Uberlândia foi lançado oficialmente em 2012, mas até hoje não recebeu obras de estruturação, conforme informou o Diário em duas reportagens publicadas no último ano. “Precisamos de sistemas de esgotamento, rede de escoamento, energia elétrica, enfim, toda a infraestrutura que o município tem por obrigação prover. Depois [de ser executado o projeto], vai ser publicado um edital para que as empresas ocupem os espaços. Isso vai acontecer através da compra [de lote]”, afirmou o secretário.

O Polo Tecnológico Sul foi lançado durante o segundo mandato do prefeito Odelmo Leão. Segundo Leles, o projeto ficou em suspenso durante a gestão anterior, sendo retomado no início de 2017. Em novembro daquele ano, a Câmara Municipal aprovou o Projeto Inova Uberlândia, cujo principal objetivo é incentivar empresas de tecnologia e inovação a investirem no Polo.  “Durante o período da gestão passada foi entendido que o projeto não seria tocado, então prazos foram vencidos, o projeto em si se perdeu, não teve um projeto novo e não teve a sequência”, afirmou Leles.

O secretário informou que além da atualização, o projeto teve de passar pela certificação cartorial. “Tivemos de criar matrículas que até então não existiam porque, além de tudo, nós temos o primeiro loteamento empresarial público de Uberlândia, que é uma novidade inclusive para o próprio cartório”, disse. Os registros no cartório foram finalizados em outubro de 2018, quando as matrículas dos lotes foram registradas. São 39 lotes, sendo 32 para comercialização, dois para construção de torres, além de seis áreas recreativas. A metragem mínima é de 600 m². A área tem capacidade de receber em torno de 80 empresas.
Dos 152.000 m² quadrados completos do Polo Tecnológico, 57 mil metros são de uma área de preservação permanente que, segundo Raphael Leles, será respeitada.
 
 
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »