09/01/2019 às 07h51min - Atualizada em 09/01/2019 às 07h51min

Instalação de câmeras no Sabiá segue sem conclusão

Iniciado em 2017, sistema terá 40 aparelhos a menos do que o anunciado

VINÍCIUS LEMOS
Câmeras foram instaladas na pista de caminhada, no lado do bairro Tibery | Foto: Vinícius Lemos
Iniciado em 2017, o processo de instalação de câmeras de videomonitoramento no interior do Parque do Sabiá ainda não possui prazo de conclusão. Segundo a Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel), restam 32 aparelhos a serem instalados no local, que terá um sistema com um total de 80 câmeras, 40 a menos que as anunciadas inicialmente. Segundo o informado ao Diário de Uberlândia, a diferença nos números ocorre porque houve divergência nas informações divulgadas e, além disso, parte das câmeras anunciadas para o Parque do Sabiá foi para o poliesportivo do bairro São Jorge.

O assessor administrativo-financeiro da Futel, Celso Tavares, informou que foram instalados três dos seis kits de câmeras previstos inicialmente para o parque. Os 48 aparelhos foram colocados na pista de caminhada ao lado do bairro Tibery, próximo aos campos de futebol e também no Mundo da Criança, já no bairro Santa Mônica.

Os outros kits com as demais câmeras aguardam estudo de local para instalação. Existia a previsão de instalação de mais câmeras no Mundo da Criança, para aumentar a segurança no local, e em mais um ponto da pista de caminhada, entretanto os planos ainda não estão decididos. A interrupção das instalações aconteceu em setembro de 2018.

“Estão em estudo de melhor localização, porque temos pontos na pista com árvores que dificultam a visão. Interrompemos as novas instalações e a nova diretoria trouxe algumas pessoas da área de segurança para tomarmos decisão”, afirmou Celso Tavares.

Ainda segundo ele, a instalação de novos equipamentos depende da disponibilidade de internet para o serviço de monitoramento, problema que já causou dificuldades ao sistema em determinados pontos do lado do Santa Mônica. O monitoramento é feito pela própria Futel e as imagens ainda são gravadas pela empresa contratada para o serviço de fornecimento de material. O custo é de R$ 1,7 mil mensais por cada kit instalado.

MENOS CÂMERAS

Os primeiros kits entraram em fase de implantação ainda em agosto de 2017, quando a Prefeitura anunciou a instalação de 120 câmeras. Contudo, o número atualizado do total de aparelhos é menor, de 96, distribuídos em seis kits, de acordo com Tavares. “Quem deu essa informação inicial [de 120 aparelhos a serem instalados] talvez não soubesse quantas câmeras eram e passou dessa forma”, afirmou Celso Tavares.

Um dos seis kits foi redirecionado do Parque do Sabiá para o poliesportivo do bairro São Jorge, que já iniciou a operação. Ainda segundo Tavares, o sistema de videomonitoramento teria sido pensado, inicialmente, para os poliesportivos, mas o projeto foi reavaliado e, posteriormente, implantado no Parque do Sabiá.
 
AVALIAÇÃO
Usuários aprovam serviço de videomonitoramento

 
Usuários com quem a reportagem do Diário de Uberlândia conversou aprovaram a instalação dos equipamentos de videomonitoramento no Parque do Sabiá. Parte deles espera até mesmo ampliação do serviço. “É importante em locais mais isolados e em horários que não são de pico. Segurança nunca é demais e pode ter até mais”, disse a consultora na área de segurança do trabalho, Carla Teixeira.

O cobrador Samuel José da Silva disse que se sente mais seguro, principalmente depois de relatos de furtos e roubos no entorno do Parque do Sabiá. “Eu mesmo não tive problema enquanto faço caminhadas, mas já fiquei sabendo de casos de pessoas furtadas. Bandido fica com medo [com as câmeras]”, afirmou.
 
 SEGURANÇA
Parque conta com novo esquema de segurança da PM

 
 Para tentar diminuir as ocorrências de crimes no Parque do Sabiá, desde 2017, a Polícia Militar trabalha junto à Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel) em um novo esquema de segurança, como informou o tenente da corporação, Rodrigo Cordeiro. A polícia tem pontos-base na área do parque e também faz patrulhamentos para prevenir crimes.

Também foram solicitadas podas em árvores para melhorar a visibilidade de setores do local e foi criado um elevado no estacionamento do parque, para que seguranças tenham melhor visão da área interna na região do Santa Mônica.

"Além disso, foram presos autores contumazes de roubo e furto dentro do parque e isso ajudou na redução de ações criminosas", disse o policial, que também destacou a presença das Rondas Ostensivas com Cães (Rocca) no espaço. Para o tenente, a presença das câmeras facilitou o trabalho policial.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »