11/12/2018 às 07h25min - Atualizada em 11/12/2018 às 07h25min

Agressores de taxista vão responder por 2 crimes

VINÍCIUS LEMOS E MARIELY DALMÔNICA
Na tarde de ontem, a Polícia Civil ouviu dois homens presos suspeitos de espancarem um taxista na manhã do último domingo (9) em Uberlândia. Os dois podem responder pelos crimes de tentativa de homicídio e roubo. Um adolescente de 14 anos apreendido pelo mesmo fato poderá responder por atos infracionais análogos ao homicídio tentado e a roubo. A Polícia Civil estuda a possibilidade de que os adultos ainda sejam indiciados pelo crime de corrupção do menor envolvido no caso.

As agressões aconteceram do lado de fora de uma festa realizada no Arena Race, na MG-455, saída de Uberlândia para Campo Florido. O taxista Nilson Aparecido Ramirez, de 50 anos, se recusou levar mais que cinco pessoas em seu veículo, o que gerou desentendimento e o trabalhador acabou espancado. Além de ser jogado no chão, o motorista foi chutado na cabeça várias vezes pelos três suspeitos, que foram identificados e presos posteriormente pela Polícia Militar.
Parte das agressões foi filmada por pessoas que passavam pelo local. Os vídeos mostram que o motorista não esboçou qualquer reação contra o trio. Além do espancamento, um dos envolvidos chegou a entrar no veículo da vítima e se sentar no banco do motorista. Dois celulares do taxista foram roubados.

Ainda durante a tarde de domingo, policiais militares conseguiram chegar até Alexandre Ferreira Julião, de 22 anos, Danilo Henrique Fernandes, de 18 anos, além do menor de idade. Quando foram detidos, eles ainda usavam as mesmas roupas que estavam quando saíram da festa e espancaram o taxista. Eles foram encontrados nos bairros Jardim das Palmeiras e Custódio Pereira.

De acordo com a PM, os três detidos têm passagem pela polícia por crimes diversos, como roubo e tráfico de drogas. O taxista foi atendido inicialmente na Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do bairro Planalto e ainda no fim da tarde de domingo ele recebeu alta médica. Ainda no domingo, uma manifestação foi organizada em frente à Delegacia de Plantão da Polícia Civil, no bairro Marta Helena. Ela envolveu motoristas de táxis e também de aplicativos de transporte e pedia celeridade no indiciamento dos agressores, além de segurança para os trabalhadores das categorias.

Por meio de nota, a assessoria de comunicação do Arena Race informou que a ocorrência foi registrada fora do espaço onde o evento foi realizado, em uma estrada que dá acesso ao local, e que “lamenta o fato ocorrido e repudia qualquer tipo de violência.”
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »