04/12/2018 às 09h40min - Atualizada em 04/12/2018 às 09h40min

Reservatórios funcionam em estado de alerta

NÚBIA MOTA
Foto: Divulgação
Com o excesso de chuva em Uberlândia, o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) está com atenção redobrada sobre os níveis dos reservatórios, desde o último sábado (1°), depois que foi emitido estado de alerta por parte da Defesa Civil. As comportas foram abertas para manter o nível das estações de tratamento Sucupira e Bom Jardim em até 3 metros de altura e assim evitar que a água transborde e alague os bairros vizinhos do rio Uberabinha.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu 72 mm no sábado (1º) e, coincidentemente, 72 mm também no domingo (2), o que corresponde a 59% do que choveu em todo mês de dezembro de 2017, quando as precipitações chegaram a 241 mm. Por causa do excesso de chuva, a Defesa Civil sugeriu que o Dmae abaixasse o nível das represas para esperar o volume de água previsto para chegar na cidade. “Quando chove muito em Uberaba, a Defesa Civil de lá já liga para a Defesa Civil de Uberlândia para avisar sobre os riscos de alagamento. Aí a Defesa Civil entra em contato conosco e a gente trabalha esperando esse volume de água chegar em Uberlândia”, disse Rejane Cerqueira, gerente de tratamento de água do Dmae.

A pedido da Defesa Civil, o Dmae está trabalhando os níveis das represas com uma média de até 3 metros, porque com 3,30 metros o sistema já transborda. Mantendo esse volume, é possível trabalhar com a comportas, a tempo de escoar a água, caso as fortes chuvas se mantenham. A previsão é que hoje chova à tarde e o tempo se mantenha encoberto, com mais chuva prevista para o próximo fim de semana.

CONSUMO

Apesar da quantidade de chuva, o Dmae alerta a população para o consumo consciente de água. Atualmente, a cidade tem um volume hídrico em abundância, mas é preciso economizar já pensando no período de estiagem, a partir de abril.

No mês de novembro, o consumo de água da população foi 0,5% menor do que o de novembro de 2017 e é preciso manter a atenção e os cuidados. “O consumo consciente tem que ser diário, senão as pessoas vão ter dificuldade de entrar no ritmo novamente. Se virou rotina na casa economizar água, fica mais fácil se adequar quando vier a estiagem. Hoje, o volume de água é grande, porém quando chega em abril, maio, até setembro, essa vazão do rio diminui, nossa captação de água diminui, nossa distribuição diminui e o consumo da população aumenta, devido ao calor e a poeira”, completou Rejane.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »