27/10/2018 às 07h01min - Atualizada em 27/10/2018 às 07h01min

Panetones já estão na área

Produto é visto em destaque nos comércios da cidade, que apostam na variedade para aumentar as vendas neste ano

CAROLINA PORTILHO
Supermercado em Uberlândia já disponibiliza grande variedade de panetones | Foto: Divulgação
Ainda parece longe, mas em um piscar de olhos estaremos no Natal, data mais importante para o comércio no Brasil. Um dos produtos que mais remete à sazão é o panetone, que já ocupa as prateleiras dos supermercados, confeitarias e diversos pontos de vendas de Uberlândia. Além dos tradicionais, com sabor de frutas cristalizadas e gotas de chocolate, neste ano a aposta está nos novos sabores visando o crescimento nas vendas.

Com duas lojas em Uberlândia, a franqueada Chocotones Brasil Cacau, marca do Grupo CRM, estima um crescimento de 15% com as vendas deste ano, incluindo panetones, chocolates, trufas, presentes, lembranças, cafeteria, ovos de Páscoa, entre outros. Eles esperam atingir a marca de R$ 1,5 bilhão para todo o grupo e para chegar a esse número estão investindo em sete lançamentos para o Natal. Serão dois novos panetones: um com recheio de chocolate ao leite sabor avelã, 100% coberto com chocolate ao leite, e outro de churros recheado com doce de leite, que vem acompanhado com um sachê de 20 gramas de açúcar de confeiteiro para decoração; além de novidades nas linhas de presentes e lembranças.

“Algumas lojas já estão recebendo os produtos de Natal. Até meados de novembro, todas devem estar abastecidas. Entre os panetones de chocolate, os que têm mais saída são o de brigadeiro e trufado. Além disso, os nossos combos natalinos são muito procurados pelos nossos consumidores. Eles têm um ótimo custo benefício e são bastante democráticos, pois trazem um mix dos clássicos da Brasil Cacau como trufas e tabletes de diferentes sabores. Eles são uma excelente opção para quem não quer errar no presente”, disse a diretora de Marketing do Grupo CRM, Maricy Porto.

No Megamix, na avenida João Naves de Ávila, a primeira compra de panetones já foi feita e o produto ocupa um corredor inteiro do supermercado. A analista de marketing do local, Juliana Alves Maciel, disse que os consumidores já estão levando o queridinho para casa meses antes do Natal.

“Tem panetone o ano todo, mas as vendas se intensificam a partir de agora, e mais perto da data o volume é ainda maior. Como é o carro-chefe das vendas, colocamos os produtos em destaque e neste momento eles ocupam grande parte do supermercado para justamente chamar ainda mais atenção das pessoas”.
Juliana reforça que para atrair os consumidores está ampliando o portfólio oferecendo os panetones tradicionais e as novidades do mercado. “Temos opções com damasco, castanha, paçoca, pão de mel e diversos outros recheios. Além das marcas conhecidas no mercado, também estamos trabalhando com fabricação própria que tem boa aceitação dos consumidores.”


Maricy Porto, diretora do Grupo CRM, que inclui a Brasil Cacau,
diz que rede aposta em sete lançamentos


VENDAS NO BRASIL

A Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias, Pães & Bolos Industrializados (Abimapi) divulgou no último dia 18, durante a realização do Salão do Panetone 2018, que mais de 29 milhões de famílias consumiram, entre novembro de 2017 e janeiro deste ano, panetones, seja o de frutas, gotas de chocolate ou recheado, entre diversos outros tipos.

Os dados foram coletados em uma pesquisa sobre hábitos de consumo do produto, realizada pela consultoria Kantar WorldPanel. O levantamento aponta ainda que neste mesmo período, o volume de vendas foi de 39 mil toneladas, 13% a mais que o ano anterior (2016/2017), chegando ao faturamento na ordem R$ 600 milhões. Para 2018, a projeção da Abimapi é que o crescimento em volume e faturamento da categoria fique em torno de 8%.

Ainda segundo a pesquisa, os panetones tradicionais, de frutas e gotas de chocolate representaram 78,2% das vendas, enquanto que os recheados e sem frutas corresponderam a 17,4% e 4,4%, respectivamente. Também foi informado que o volume de panetones se concentra em lares com compradores mais maduros (mais de 40 anos), famílias pequenas (uma ou duas pessoas) e de classes altas (A e B).
 
CURSO
Confeiteiras ficam de olho em renda extra no fim do ano
 
A confeiteira Maria de Fátima, 53 anos, tem nas mãos a prática de fazer bolos e doces. Visando ampliar o que já oferece aos clientes, ela resolveu fazer um curso com foco em panetones. Durante uma tarde, ela aprendeu a técnica da massa, de recheios e de como obter lucro com a venda do produto seguindo a receita à risca.

“Eu vivo de confeitaria e sempre em datas específicas busco aperfeiçoar meu trabalho para oferecer algo a mais. Além de bolo e doces, faço ovos de chocolate para atender a demanda da Páscoa. Agora, com a proximidade do Natal, quero fazer panetones que vendem muito bem o ano todo, mas nem se comparara com a chegada da data. Aprendi no curso que é importante seguir a receita fielmente para realmente ganhar com as vendas. Espero que o panetone seja mais um produto que consiga inserir no meu portfólio não só para este Natal, mas para todos”, disse.

Maria de Fátima e mais 13 foram alunas do curso de panetone promovido pela confeiteira e professora de confeitaria Gleiciane Miranda Barcelos, de 38 anos. Segundo ela, essa foi a primeira turma agendada este ano e já tem horários fechados para as próximas semanas. Olhares atentos para cada procedimento para a produção da massa, rendimento e até o tempo certo para assar. 

“Não podemos esquecer que cada ano incrementamos os tipos de recheios. Hoje fizemos de laranja, que nem sempre é visto no mercado. Há inúmeras possibilidades e essas inovações cabem em qualquer lugar, pois o importante é atender o gosto do cliente. Além disso, tem gente que gosta da massa e não gosta dos recheios tradicionais, que são os frutados ou mesmo só de chocolate”, disse Gleiciane.

A professora reforça que a procura pelos cursos é, na maioria das vezes, para complementar renda. Ela destaca que é importante se planejar e calcular os custos certos para, no fim, o lucro prevalecer. “Quem trabalha com data sazonal, por exemplo, pode guardar itens para serem usados posteriormente, como, por exemplo, o chocolate, embalagens, que são produtos que não perdem. Assim você entra na próxima data com recurso já garantido. Dá trabalho e leva tempo mexer com confeitaria, e se no fim o lucro não for para o bolso, acaba gerando desgaste e desestímulo para a profissional, que se dedica tanto à arte da confeitaria.”
 
Receita de panetone da confeiteira Gleiciane

Ingredientes
 
1 kg farinha de trigo
100 gramas de fermento biológico fresco
200 gramas de manteiga
200 gramas de açúcar
8 gemas
10 gramas de sal
250 gramas de frutas cristalizadas
150 gramas de uva passa
6 gotas de baunilha
6 gotas de laranja

Preparo
Faça uma esponja com 100 gramas de farinha, o fermento e um pouquinho de água. Descanse 15 minutos. Acrescente o restante dos ingredientes, menos as frutas. Descanse 20 minutos. Após, acrescente as frutas, faça os modelos, coloque nas formas e deixe descansar novamente até quase atingir o dobro do tamanho. Após tudo pronto, pegue uma lâmina e faça cortes em forma de cruz no topo do panetone. Puxe as bordas para fora e coloque uma colher de margarina sem sal. Leve para assar em uma forma de papel ou assadeira em 180º.

Recheio creme de laranja
50 gramas de manteiga
100 gramas de cream cheese
200 gramas de açúcar de confeiteiro
Meia colher de extrato de baunilha
Raspas de duas laranjas ou uma colher de chá de essência de laranja
Bata tudo na batedeira até ficar liso

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »