14/10/2018 às 08h00min - Atualizada em 14/10/2018 às 08h00min

Leo Chaves se dedica a projeto de habilidades socioemocionais

Instituto Hortense desenvolve competências em sala de aula para mais de 30 mil crianças em Uberlândia e São Paulo

ÉDER SOARES

Foto: Divulgação
Dos palcos diretamente para uma vida dedicada à solidariedade e à preocupação com o desenvolvimento intelectual de crianças e adolescentes de Uberlândia. O músico Leo Chaves nasceu em Ponte Nova e foi criado em Abre Campo, cidade na Zona da Mata Mineira, mas ao lado do seu irmão, Victor, escolheu Uberlândia para viver. Em 2016, depois de uma experiência pessoal, fundou o Instituto Hortense, que tem como objetivo desenvolver habilidades socioemocionais através do método da Escola da Inteligência, criado pelo psicanalista, professor e escritor Augusto Cury.

Assumindo uma pausa na carreira da dupla, que segundo ele não tem um período determinado, Leo está se dedicando ao seu lado de empresário, palestrante e autor. Com agenda lotado, ele vem ministrando palestras por todo o Brasil. Mas o principal objetivo do sertanejo é dar seguimento ao projeto do seu instituto, em Uberlândia, no qual trabalham mais de 20 pessoas, todas de forma voluntária. 

“A minha imersão neste universo filantrópico do terceiro setor veio através de uma tomada de consciência, que a minha vida teria mais sentido se eu fizesse mais sentido para as pessoas, principalmente as pessoas que necessitam e precisam de oportunidades”, disse Leo, que complementou falando sobre o seu instituto. 
“Fundei o instituto no intuito de criar oportunidades para crianças e adolescentes que não teriam condições de acesso às habilidades socioemocionais. Até mesmo professores, que não têm a oportunidade de conhecer as ferramentas e as habilidades relacionadas com este conteúdo”.

Atualmente, o instituto Hortense atende 100% das escolas rurais, cinco escolas urbanas municipais de Uberlândia e mais Casa da Criança e do Adolescente Cristina Cavanis, Casa do Menor Nova Canaã, Pelotão Esperança do 36º Batalhão de Infantaria Mecanizado, Programa Transforma do Instituto Algar, além do Instituto Verdescola, em São Paulo. São mais de 30 mil pessoas impactadas pelo projeto, entre alunos, pais, colaboradores e voluntários.

Conceito
O que são habilidades socioemocionais?


As habilidades socioemocionais ganham cada vez mais destaque nos processos seletivos, sejam eles para as universidades ou para grandes empresas. Segundo um estudo da Universidade Norte-Americana de Columbia, a cada dólar investido no desenvolvimento da inteligência emocional de uma criança, 11 dólares são devolvidos à sociedade.

Estudos definem as habilidades socioemocionais como um conjunto de aptidões desenvolvidas a partir da inteligência emocional de cada uma das pessoas. Em resumo, elas apontam para dois tipos de comportamento: a sua relação consigo mesmo (intrapessoal) e também a sua relação com outras pessoas (interpessoal).
São aquelas qualidades interiores que a maioria de nós valoriza no dia a dia, mas que por serem subjetivas, quase sempre acabam ficando em segundo plano em relação aos nossos direcionamentos considerados objetivos. “As discrepâncias dessas habilidades só ficam claras diante dos problemas, no momento em que estamos aptos para lidar emocionalmente com os desafios à nossa frente”, disse Leo.

Em um mundo tecnológico, com informações em alta velocidade, as competências socioemocionais são, segundo Leo Chaves, cada vez mais cobradas, pois através delas cada indivíduo conseguirá escolher mais conscientemente qual decisão tomar. “Pesquisas de entidades como Unesco e Unicef mostram que são as habilidades socioemocionais que possibilitam maiores e melhores resultados de liderança. Além disso, desenvolver tais competências ajuda a diminuir o número de pessoas com transtorno de ansiedade e depressão, considerados hoje casos de saúde pública”, afirmou.

Segundo o estudo “Novas habilidades no trabalho – Desenvolvimento de competências que levam ao crescimento econômico”, feito em parceria entre a Fundação JP Morgan Chase, o Conselho das Américas (COA) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), as habilidades socioemocionais figuravam entre as competências mais procuradas pelas empresas no Brasil em 2017.

“O desenvolvimento das habilidades socioemocionais ajuda os alunos a se tornarem mais focados, mais resilientes. Por consequência, se concentram mais no aprendizado, se interessam mais pelo conteúdo passado em sala de aula e o desempenho escolar aumenta expressivamente”, disse o cantor. 

Show
“Amigos do Futuro” ajuda a custear projeto


Para custear o projeto do Instituto Hortense, todos os anos Leo Chaves realiza o “Amigos do Futuro”, show beneficente no qual comemora seu aniversário, e que tem toda a renda revertida ao Instituto Hortense e ao Hospital do Câncer em Uberlândia. Graças ao evento do ano passado foi possível dobrar o número de pessoas impactadas pelo Instituto e ajudar a finalizar a construção do setor de cuidados paliativos do Hospital. Neste ano, o Amigos do Futuro acontecerá no dia 24 de outubro, no Center Convention, e terá os shows de Victor & Leo, Jorge e Mateus, Bruno & Marrone e César Menotti e Fabiano.

Escritor

Em relação à parada na carreira com o irmão Victor, Leo garante que os 26 anos de estrada é um capítulo que não irá se encerrar. “Se trata de um capítulo, de uma história que está muito longe de acabar. Digo sempre que é um livro que, com toda a certeza, ainda está sendo escrito”, frisou Leo, que além do Instituto Hortense e das palestras também vem se dedicando a carreira de escritor.

No mês de agosto, ele participou da primeira semana da Bienal do Livro de São Paulo, onde fez uma parada para autografar o seu primeiro livro, “No Colo dos Anjos”, lançado no final do ano passado. A obra é uma narrativa que conta a história de dois personagens. Bruce é um artista que foi internado inconsciente e sobre o qual há suspeitas de uso de drogas. Enquanto Martin é um artista renomado, consagrado e com uma carreira exemplar.

Notícias Relacionadas »
Comentários »