21/09/2018 às 08h00min - Atualizada em 21/09/2018 às 08h00min

Terapia virtual ajuda na reabilitação de pacientes

Tratamento usa jogos para melhorar equilíbrio e cognição de pacientes

MARIELY DALMÔNICA
Recurso melhora a autonomia dos pacientes da instituição, diz fisioterapeuta | Foto: Mariely Dalmônica
Há menos de um mês, a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) reinaugurou a sala de Reabilitação Virtual, terapia que utiliza uma interface oferecida por jogos virtuais no tratamento de crianças, adolescentes e adultos. A prática estimula as funções sensoriais, motoras e cognitivas, ajuda no equilíbrio, na concentração e na flexibilidade dos pacientes. Segundo a terapeuta ocupacional Geise Firmino, o ambiente é motivador e usa um recurso diferente para melhorar a autonomia dos indivíduos. “Começamos com essa terapia no início do ano, mas a AACD passou por uma reforma e a sala foi reinaugurada agora. No vídeo game, o paciente tem uma interação muito maior, ele esquece que está fazendo o movimento. A gente usa do recurso externo, uma tecnologia assistida, para buscar equilíbrio, sem contar que é mais divertido. Aqui é outra realidade, o interesse dos pacientes é maior”, disse a terapeuta.

Atualmente, a associação tem cerca de cinco pacientes na reabilitação virtual, atividade que é sempre associada a outra terapia. De acordo com Geise Firmino, na reabilitação, o adulto faz uma sessão em momentos específicos, quando detectada a necessidade, por exemplo, em uma fisioterapia, enquanto crianças e adolescentes costumam ter uma sessão semanal, de 40 minutos. Para a terapeuta ocupacional, as ações repetitivas feitas durante o jogo acontecem de forma natural e permitem que os objetivos sejam alcançados com maior facilidade e dentro de um menor tempo. “Escolhemos pacientes que não usam nenhum aparelho de locomoção, só alguns tipos de andadores que não interferem. Primeiro, começamos com comandos mais simples, e variamos os jogos na medida em que o paciente vai melhorando o equilíbrio.”
 
NA PRÁTICA
 
Matheus Rodrigues tem 15 anos e é um dos pacientes de Firmino. Ele teve um tumor na medula cervical e hoje tem uma limitação no lado direito do corpo. “Ele fez uma cirurgia recente e veio para a reabilitação virtual. Hoje ele já está mexendo o braço. Com o tempo ele vai se desenvolvendo, aprimorando os movimentos e perdendo o medo. Ele tinha medo de pular e de cair, por exemplo, mas já não tem mais”, afirmou a terapeuta.


Matheus Rodrigues, de 15 anos, começou a Reabilitação Virtual após passar por cirurgia | Foto: Mariely Dalmônica

Matheus disse que está gostando da reabilitação virtual e a mãe, Deusa Rodrigues, se mostra satisfeita com o desenvolvimento do filho. “A gente vê que ele é capaz, que ele está perdendo o medo, aprendendo a pular, é muito bom para ele. Ele chegou aqui sem andar e hoje já está andando”, disse. O adolescente frequenta a associação três vezes na semana, e também faz outras atividades, como hidroterapia.

A Reabilitação Virtual é indicada para crianças com mais de cinco anos e adultos que são atendidos na instituição. Pacientes particulares ou atendidos por convênio também podem solicitar a terapia, que será cobrada.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »