18/09/2018 às 07h39min - Atualizada em 18/09/2018 às 07h39min

Cafeteria é o ramo mais pesquisado no semestre

Busca por informações sobre o setor cresceu 126% no ano, diz Sebrae

NÚBIA MOTA
Pedro Said idealizava há 3 anos sua cafeteria
A dupla café e pão de queijo tem atraído a atenção daqueles que buscam o próprio negócio. As cafeterias, seguidas de restaurantes, fábricas de pão de queijo, confeitarias e fábricas de alimentos congelados são as ideias de negócios mais procuradas nos seis primeiros meses de 2018, segundo levantamento feito a partir dos acessos às cartilhas da série Ponto de Partida, manuais que trazem informações sobre abertura de empresas em diferentes segmentos, disponíveis no site do Sebrae Minas.

No primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, os downloads das cartilhas aumentaram 47%, de 9.102 para 13.425, com as cinco primeiras colocadas ligadas ao setor de alimentação. Para saber mais sobre cafeterias, o público fez 1.897 acessos nos seis primeiros meses de 2018, contra 838 em 2017, o que representa um crescimento de 126%. Em segundo lugar, está o setor de restaurante, que no ano passado estava na quarta posição e teve um crescimento de procura de 487 para 733 downloads, o que representa 50%. Já as fábricas de pão de queijo estão em terceiro lugar e pela primeira vez entre as mais procuradas, com 728 acessos. “É a comodidade aliada a um resgate do que é nosso, dos nossos costumes, do pão de queijo, do café”, disse Fabiana Queiroz, analista do Sebrae Minas. 

Para ela, a procura pelas cafeterias, campeãs no número de downloads pelo segundo ano consecutivo, se deve ao fato do Estado ser um grande produtor de café e por ser um segmento em franca expansão, consequentemente, chamando mais a atenção das pessoas que querem empreender. Mas ela alerta sobre a importância do empreendedor também se identificar com o ramo e ter algum conhecimento a respeito. “Não é porque é um segmento em franca expansão, que você vai investir. É preciso conhecer do ramo, ter uma boa análise de mercado e é preciso ter relacionamento com fornecedor. Não é só seguir tendência”, disse.

Por isso, além de disponibilizar as cartilhas gratuitas no site, o público pode procurar o Sebrae de forma presencial, com horário agendado, ou pela internet, para ser acompanhado desde a estruturação da ideia até a execução, além de procurar por cursos oferecidos pela entidade.

QUALIDADE

Há 9 meses, José Carlos Freitas abriu a cafeteria Absoluto, no bairro Fundinho, ao lado do sócio Pedro Said, um sonho que ele vinha idealizando há 3 anos atrelado ao trabalho como designer de interiores. “Desde a faculdade, eu queria um espaço compartilhado que não fosse engessado. Onde eu pudesse fazer meu estúdio de designer com um lugar onde as pessoas pudessem se sentir à vontade. Aí veio a ideia da cafeteria”, afirmou.

Mas até concretizar a ideia, foi muito chão. José Carlos chegou a fazer download da cartilha da série Ponto de Partida do Sebrae, a mais procurada em 2018 e 2017 no site, fez consultas de controle financeiro, de comunicação, cursos online, entre outros. “Quem quer abrir uma cafeteria tem que estudar muito a questão de legalização, porque a burocracia é grande. Segundo, tem que estudar a parte de café e ter um bom fornecedor. Tem que ter boas comidas. Ter um carro-chefe, mas sempre uma novidade. E o ponto principal é o atendimento, porque o público de cafeteria é mais exigente e seletivo”, afirmou.

Ainda segundo o empresário, mais do que ter se tornado um bom negócio para quem investe, as cafeterias se tornaram também de interesse do próprio público, o que explica a grande procura.  “O público quer ter acesso a um café de qualidade, com grão selecionado. É igual cerveja. Tem gente que quer cerveja baratinha no supermercado e outros preferem pagar mais caro em uma cerveja artesanal”, disse José Carlos.

Sobre a concorrência, ele disse que não é problema, já que é um termômetro para medir o próprio trabalho e conhecer outras novidades. “Temos concorrentes que são nossas clientes e somos clientes deles. Temos essa parceria legal e oferecemos produtos diferentes. É bom a gente se conhecer. Às vezes, o detalhe na forma de servir melhora o nosso próprio atendimento”, disse o empresário.

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »