28/08/2018 às 08h34min - Atualizada em 28/08/2018 às 08h34min

UAI estadual atenderá em novo endereço

Do Centro para o bairro Tibery, novo endereço fica a 800 metros da Prefeitura

CAROLINA PORTILHO
A Unidade de Atendimento Integrado (UAI) estadual atenderá em novo endereço a partir de novembro em Uberlândia. Serviços como emissão de carteira de identidade, carteira de trabalho e passaporte serão transferidos da avenida João Naves de Ávila, 317, no Centro, para o bairro Tibery, na Anselmo Alves dos Santos, 1111, no Pátio Sabiá, que ainda está em obras.

A UAI também contempla serviços como prova de legislação, entrada no seguro desemprego, entrega de CRLV e CNH quando são devolvidos por não encontrar o responsável na residência e intermediação de mão de obra em parceria com o Sistema Nacional de Emprego (Sine). De acordo com a supervisora de atendimento da UAI, Izabel Batista, a mudança de endereço foi uma decisão do Consórcio Minas Cidadão Centrais de Atendimento S.A visando reduzir os custos.

A entidade não informou à reportagem do Diário de Uberlândia sobre valores e percentuais que serão economizados com essa mudança. “Somos um consórcio que presta serviço para o Estado e nada vai mudar para o cidadão. Todos os serviços serão mantidos. Essa perspectiva de mudança visando custos menores já está em estudo há um ano e a decisão do local foi acertada em dois meses. Queremos tranquilizar a população que, quando a mudança ocorrer, faremos ampla divulgação. Não será da noite para dia”, disse.

Izabel reforçou que o novo endereço fica a 800 metros da Prefeitura e que haverá mudanças na rota dos ônibus que dão acesso ao local. Em nota, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settran) informou que realiza estudos técnicos para reforçar o atendimento aos usuários do transporte coletivo de acordo com a nova demanda.

São feitos cerca de 1.600 atendimentos por dia na UAI, que funciona no Centro da cidade desde agosto de 2011. Atualmente 70 funcionários prestam serviços à população de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Para a costureira Ana Mendes Lima, 46 anos, a nova localização não favorece quem mora em bairros mais afastados.

“Aqui no Centro fica mais fácil ter acesso aos ônibus e tem ainda o Terminal Central que fica bem perto. Já precisei vir aqui mais de uma vez no mesmo dia e por ser no Centro facilita, não gasto a mais com transporte, faço a pé mesmo. No [novo] local isso não será possível”, disse.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »