12/08/2018 às 08h03min - Atualizada em 12/08/2018 às 08h03min

Uberlândia tem recorde de candidatos a deputado

Partidos aprovaram nomes de 58 pré-candidatos com domicílio eleitoral na cidade, sendo 33 estadual e 25 para federal

NÚBIA MOTA E WALACE TORRES
Para a Câmara dos Deputados os partidos na cidade definiram nomes de 25 concorrentes | Foto: Agência Câmara
Passado o período das convenções partidárias, o cenário eleitoral vai se consolidando e revelando um número recorde de candidaturas a cargos nos legislativos federal e estadual com domicílio eleitoral em Uberlândia. Segundo levantamento feito pelo Diário de Uberlândia junto aos partidos com representação na cidade, até o momento já são 58 pré-candidatos do município, dos quais 33 vão tentar o cargo de deputado estadual e 25 o de deputado federal. O número ainda alterar uma vez que o prazo para registro das candidaturas perante a Justiça Eleitoral vai até o dia 15. 

Em 2014, 36 candidatos com domicílio eleitoral em Uberlândia disputaram a eleição para deputado, sendo 24 concorrentes a deputado estadual e 12 a deputado federal. A quantidade foi praticamente a mesma que em 2010, quando houve 37 disputando o pleito, sendo 20 candidatos a deputado estadual e 16 a deputado federal. Há 8 anos, foi a última vez que a cidade teve um candidato a cargo majoritário no Estado - Marilda Ribeiro, do Psol, que concorreu à vaga de senadora.  

As últimas eleições entraram para a história como a maior formação de bancada de deputados eleitos por Uberlândia, com oito representantes, sendo três deputados federais e cinco deputados estaduais, lembrando que Odelmo Leão (PP) deixou o Congresso no fim de 2016 para assumir a Prefeitura, e o Professor Neivaldo (PT) que era suplente chegou a assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa por um ano, fazendo com que a cidade tivesse seis representantes no Legislativo estadual. 

“Não dá para saber se vamos continuar com essa representatividade, já que alguns se candidataram de última hora e devem fazer com que outros desistam. É muita loucura, já que só vamos ter certeza mesmo em quem podemos votar no dia 16, quando já começa o período eleitoral”, avaliou o consultor político Leandro Grôppo.

Todos os deputados da cidade em atividade hoje tentam a reeleição, com exceção de Felipe Attiê (PTB), que é deputado estadual e agora tenta uma vaga na Câmara Federal. Elismar Prado (Pros), Luiz Humberto Carneiro (PSDB), Arnaldo Silva (DEM) e Leonídio Bouças seguem na disputa por uma vaga na Assembleia de Minas. Os congressistas Weliton Prado (Pros) e Tenente Lúcio (PR) também seguem no páreo por uma vaga como deputados federais. 

A ALMG hoje é formada por 77 deputados, já na Câmara Federal são 513 vagas para deputado federal, sendo 53 eleitos por Minas Gerais.  

Fora do domicílio

Segundo maior colégio eleitoral do Estado, Uberlândia tem grande influência na disputa proporcional (legislativo). Em 2014, um total de 692 candidatos a deputado estadual receberam votos em Uberlândia. Aproximadamente 39 mil votos foram dados para candidatos de fora de Uberlândia. Já na disputa pelo cargo de deputado federal foram 491 candidatos votados na cidade. Cerca de 40 mil votos foram distribuídos a candidatos que moram em outras cidades.

Na época, o deputado federal Weliton Prado (Pros) foi eleito com 186.098 votos no Estado, sendo 53.045 em Uberlândia, com uma queda de 18.398 votos na cidade em relação a 2010.  Dos 179.652 votos recebidos por Odelmo Leão (PP), 153.759 vieram de moradores locais, e o deputado federal Tenente Lúcio (PR) teve 67.459 votos, sendo praticamente a metade, 33.830, de Uberlândia. Já o deputado estadual Elismar Prado (Pros) obteve 86.515 votos, 39.558 da cidade; Luiz Humberto Carneiro (PSDB) recebeu 65.301, dos quais 36.542 locais;  Felipe Attiê (PP) teve 64.597 votos, sendo a maioria da cidade, 58.802; Arnaldo Silva (DEM) foi eleito com 44.154 votos, com a minoria, 5.910, de Uberlândia; e Leonídio Bouças (PMDB), que esteve no limiar entre a suplência e titularidade, obteve 43.301 votos, 15.349 locais.

A prática em votar em candidatos de fora serve como alerta, segundo o consultor político Leandro Grôppo, porque é preciso avaliar quem realmente faz algum trabalho pela cidade. “O eleitor precisa avaliar pessoas que realmente estão comprometidas com Uberlândia. Mesmo que sejam da cidade, acabam fazendo muito mais por outros municípios”, afirmou.

Estado 

Em Minas Gerais, os partidos já definiram candidatos da chapa majoritária, formada por governador, vice e dois senadores. No entanto, ainda há alianças em discussão e até mesmo candidaturas que possam não se efetivar em função de problemas internos. É o caso do ex-prefeito de Belo horizonte, Marcio Lacerda (PSB),  que acionou o Judiciário para ter sua candidatura viabilizada, depois que a direção nacional de seu partido tentou anular a convenção estadual que homologou o seu nome.

Segundo o consultor político Leandro Grôppo, mesmo que seja aceito, Marcio tem pouca chances de vitória porque não representa a conjuntura de mudança que o eleitor do Estado deseja, mas ele pode atrapalhar Antonio Anastasia (PSDB) e Fernando Pimentel (PT) e levar a disputa para o segundo turno. Ainda para Grôppo, a conjuntura no Estado é favorável para uma eleição de terceira via, ou seja, de candidatos novos, mas com a saída de Rodrigo Pacheco (DEM) do páreo, essa possibilidade acaba. “O que o Anastasia fez com o Rodrigo Pacheco e o Pimentel está fazendo com o Marcio Lacerda exime as possibilidade de candidatos de terceira via que atrapalhariam eles. Isso é muito ruim para o eleitor porque tira a possibilidade de renovação”, disse o consultor político. 

Uberlândia
Sentimento de renovação motiva candidaturas


Confiantes no desejo de renovação dos eleitores mineiros pelo quadro de representantes políticos, alguns candidatos colocaram o nome a disposição pela primeira vez. É o caso, por exemplo, do delegado da Polícia Civil Helder Carneiro (Solidariedade). Ele disse que se candidatou a deputado estadual depois de receber muitos pedidos da própria corporação onde trabalha e também da sociedade. “Como eu já trabalhei na Delegacia de Homicídio e de Trânsito, sou muito conhecido. A própria sociedade me pediu porque está em busca de renovação”, afirmou o delegado afastado. 

Lívia Flávia (MDB) também aposta no sentimento de mudança do eleitor em sua primeira participação numa eleição. Candidata a deputada estadual, ela diz que representa a ala de renovação do MDB de Uberlândia. É coordenadora regional da Fundação Ulisses Guimarães e desenvolve trabalho de capacitação para o primeiro emprego nas escolas estaduais há mais de seis anos. “Decidi sair candidata porque não me senti representada por nenhuma liderança na cidade, e também por uma questão de renovação. Eu venho da base, do movimento estudantil, por isso consigo caminhar tanto na ala estadual como nacional do partido”, diz.

Número de candidatos 

O PRTB é a legenda que mais nomes de Uberlândia irá lançar na disputa. São nada menos que nove pré-candidatos para deputado federal e sete para deputado estadual. “São pessoas que queriam se candidatar mas não tiveram acesso aos outros partidos. E nós acolhemos, até para fazer o partido crescer em Uberlândia”, conta o presidente do PRTB local, Roberto Martins. Ele, no entanto, reconhece que o número de candidaturas também irá contribuir para fortalecer a legenda para a eleição seguinte, que será municipal. “Em 2020, não haverá mais coligações na eleição proporcional, portanto estamos fortalecendo o partido”.

Para o cientista político Leandro Grôppo, a quantidade de candidatos de um mesmo partido saindo para a disputa reduz as chances de vitória, mas não interfere no processo eleitoral. “É só para compor chapa mesmo, não são candidaturas viáveis. Quem tem uma base, um vereador ou líder de segmento, por exemplo, é uma candidatura minimante viável.  Quem altera alguma coisa e entra no jogo é quem tem no mínimo uns 5 mil votos, porque podia complementar para outro que tem 40 mil votos”, afirmou. 

Já no caso do PT, que vem com três candidatos de Uberlândia para vagas na Assembleia, a perspectiva é diferente na avaliação do especialista. Como Uberlândia tem o segundo maior eleitorado do Estado, é possível que o partido lance mais de um candidato que tenha segmentos diferentes. “Se fosse em Araguari, isso não seria possível”, afirmou Grôppo. 

Essa é a expectativa do presidente do diretório municipal do PT, Jakes Paulo. Ele não acredita que há risco de haver uma pulverização dos votos entre os três candidatos a deputado estadual, porque cada um deles é de segmentos diferentes da sociedade. “E eles também contam com votos fora de Uberlândia”, afirmou Jakes. 

Mas com um maior o número de candidatos da cidade, há o risco de pulverização dos votos, o que compromete o aumento da representatividade de Uberlândia nas Casas legislativas. Leandro Grôppo cita, por exemplo, a candidatura recente da primeira-dama Ana Paula Junqueira ao Congresso Nacional, depois da desistência de Rodrigo Pacheco ao Governo do Estado, como quem ela formaria chapa como candidata a vice-governadora. “Isso acaba refletindo no eleitorado que não sabe em quem votar. A desistência do Rodrigo Pacheco foi um golpe para o Odelmo. Ele apoiava o Anastasia e de repente o Rodrigo Pacheco se candidata a senador na chapa do Anastasia e leva o Renzo Braz, que seria candidato a senador, como suplente dele. A Ana Paula não ficou com nada e ainda saiu queimada com o Anastasia. Isso é péssimo para a cidade, porque ela ainda vai atrapalhar outros candidatos de Uberlândia”, afirmou Grôppo.

Eleição 2014
Minas Gerais


Eleitorado - 15.236.578
Abstenção - 3.050.396 (20,02%)
Comparecimento - 12.186.182 (79,98%)
Quantidade de candidatos a deputado estadual que receberam votos: 1.035
Quantidade de candidatos a deputado federal que receberam votos: 596

Votação em Uberlândia
Eleitorado:462.372


Deputado estadual
Comparecimento:380.663 (82,33%)
Abstenção:81.709 (17,67%)
Votos Válidos: 316.679 (83,19%)
Votos Nominais: 287.513 (75,53%)
Votos de Legenda: 29.166 (7,66%)
Votos Brancos: 34.690 (9,11%)
Votos Nulos: 29.294 (7,70%)
Quantidade de candidatos votados na cidade: 692
Votos dados para candidatos de fora: aproximadamente 39 mil

Deputado federal
Comparecimento:380.663 (82,33%)
Abstenção:81.709 (17,67%)
Votos Válidos: 323.519 (84,99%)
Votos Nominais: 304.335 (79,95%)
Votos de Legenda: 19.184 (5,04%)
Votos Brancos: 31.543 (8,29%)
Votos Nulos: 25.601 (6,73%)
Quantidade de candidatos votados na cidade: 491
Votos dados para candidatos de fora: aproximadamente 40 mil
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »