03/08/2018 às 08h37min - Atualizada em 03/08/2018 às 08h37min

Mais de 33 mil crianças deverão ser vacinadas

Uberlândia conta com 70 salas de vacinação em unidades básicas de saúde e nas UAIs

NÚBIA MOTA | REPÓRTER
Campanha começa dia 6 nas unidades de saúde | Foto: Marco Crepaldi/Secom/PMU
Mais de 33 mil crianças de Uberlândia entre 1 a 5 anos incompletos são esperadas nas 70 salas de vacina e nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs), a partir da próxima segunda-feira (6), para serem vacinadas contra poliomielite e sarampo, mesmo que já tenham sido imunizadas e estejam com o cartão de vacinas em dia.  A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite vai até o dia 31 e ainda haverá o Dia D de mobilização em 18 de agosto.
De acordo com o Boletim  Epidemiológico, atualizado na quarta-feira (1º) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), são 118 casos suspeitos notificados de sarampo em Minas Gerais, sendo 55 descartados e 63 em investigação, aguardando pesquisa laboratorial para processamento das amostras pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Destes, 3 suspeitas são de Uberlândia. Até o momento não foi confirmado nenhum caso no Estado. Quanto à pólio, também conhecida como paralisia infantil, não há registros no país desde 1990, mas há risco de reintrodução, porque a doença está presente em países da África, Ásia e Oriente Médio.

De acordo com Elaíze Maria Gomes de Paula, coordenadora municipal da Vigilância de Saúde e Epidemiológica, essas vacinas estão disponíveis o ano todo, mas agora, durante a campanha, será feita uma intensificação, quando serão avaliados os cartões de vacina e aplicadas doses extras, dependendo de cada caso. “Isso não quer dizer que outras pessoas, em outras faixas etárias, não podem ir às salas de vacina. Continuam sendo atendidas. Mas o foco são crianças de 1 a 4 anos, 11 meses e 29 dias, mesmo que estejam com o cartão de vacina em dia. Quando essas crianças são vacinadas, elas acabam protegendo a população como um todo, é uma proteção de rebanho”, afirmou.

A profissional da saúde explicou que esta vacina de intensificação contra a pólio é em gotinha, já que as crianças, nos primeiros 6 meses de vida, devem ser imunizadas com doses injetáveis contra a mesma doença. Já a vacina de sarampo é aplicada e virá associada às doses contra caxumba e rubéola, que juntas formam a tríplice viral. “É muito detalhe, por isso é importante levar o cartão para o profissional de saúde avaliar e orientar”, disse Elaíze.

Além das 70 salas de vacina das unidades básicas de saúde, que funcionam das 7h às 16h30, o atendimento será oferecido com horário estendido nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs) dos bairros Luizote, Tibery, Pampulha, Roosevelt, Planalto e Martins, das 8h às 20h. Durante o período de intensificação, ainda haverá o Dia D, no sábado, dia 18 de agosto.
 
Brasil
População só vai atrás da vacina quando sente medo

 
O brasileiro só procura tomar vacina quando sente medo real de contrair a doença, geralmente percebido pela morte de algum parente ou amigo próximo. É o que afirmaram especialistas da área médica a respeito da baixa cobertura vacinal verificada atualmente no país, de acordo com avaliação do Ministério da Saúde. "Muitas doenças não são mais conhecidas pela população, de maneira geral, como sarampo e poliomielite. Então, as pessoas sentem que elas não existem e relaxam. Mas a imunização precisa ser constante para justamente os vírus não atacarem mais", afirmou Maria Ligia Nerger, coordenadora do Programa de Imunizações da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo.
Um caso recente foi em relação a febre amarela. "Com o surto de febre amarela, a procura pela vacina só aumentou com os casos de mortes. É necessário fazer um trabalho constante para mudar esse tipo de cultura no país", disse Regiane de Paula, diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo.

Um outro fator que chama a atenção é o aumento de estrangeiros no país. "Por conta do fluxo migratório, o sarampo, por exemplo, voltou a circular na região Norte. Por isso, é imprescindível seguir o calendário de vacinação", disse Rosana Richtmann, do Comitê de Imunização da Sociedade Brasileira de Infectologia.
O calendário prevê aplicação para todas as idades. A representante comercial Ellen Franco, de 39 anos, tomou a vacina contra sarampo. "Lembrei que precisava atualizar a carteirinha. Não serve só para crianças, mas para adultos também", alertou.
 
Campanha Nacional de vacinação contra a poliomielite e sarampo

 
Quem deve ser vacinado: crianças de 1 até 5 anos incompletos independentemente de quantas doses já tomou
Onde: UBSs, das 7h às 16h30
            UAIs dos bairros Luizote, Tibery, Pampulha, Roosevelt, Planalto e Martins, das 8h às 20h
Quando: 6 a 31 de agosto, com o Dia D no dia 18 (sábado)
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »