31/07/2018 às 08h01min - Atualizada em 31/07/2018 às 08h01min

Falta de sinalização gera reclamações

Em vários bairros, moradores apontam pinturas apagadas; Settran diz que trabalho chegará a toda cidade

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
Trevo no bairro Planalto traz insegurança e transtornos a motoristas e pedestres | Foto: Mariely Dalmônica
Moradores de Uberlândia têm reclamado que as sinalizações das ruas de alguns bairros da cidade estão apagadas, situação que é diferente nos bairros localizados no setor central. É o caso de ruas que passam sob a BR-050, no bairro Marta Helena, zona norte de Uberlândia, o Trevo Ivo Alves Pereira, que fica no bairro Planalto, zona oeste da cidade, e ruas do bairro Jardim Califórnia, zona leste, que têm causado transtorno para motoristas e pedestres.

O motorista de caminhão Carlos Luiz tem o costume de passar pela avenida Paulo Roberto Cunha Santos e pela rua Pedro Quirino da Silva, que ficam próximas ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), local de muito movimento no bairro Marta Helena. “A sinalização ali está precária e os acidentes são constantes. O movimento de carro é muito grande em horários de pico”, disse.

A reportagem do Diário de Uberlândia visitou a avenida Paulo Roberto Cunha Santos, a rua Pedro Quirino da Silva, a avenida Terezina e a rua República do Piratini, localizadas na região dos bairros Marta Helena e Umuarama e próximas à BR-050, todas com um fluxo intenso de veículos.

Neide Alves, cabeleireira, mora e trabalha na rua Pedro Quirino da Silva há 36 anos, e para ela, o ideal seria a instalação de um semáforo. “Tem uns seis anos que a sinalização da rua está apagada. Aqui passam muitos ônibus e muitos carros, eu sempre escuto uma batida, sempre tem alguém caído no chão e pedaços de carro na rua. As pessoas já pediram muito para ter um semáforo, até para atravessar a pé tem que ter cuidado”, afirmou a moradora.

Nice Brito e Beone Oliveira são donos de uma lanchonete que fica na esquina das ruas do Engenheiro e da Doméstica, no bairro Planalto. Desde que se mudou para o bairro, há 20 anos, Nice considera a área bastante movimentada. “Sempre tem muito transtorno aqui na rua, ainda mais que é um local onde passam muitos ônibus. Mesmo que tenha a placa de “Pare”, os motoristas no geral não respeitam a sinalização”, disse.

“As ruas do bairro estão todas apagadas. Algumas se tornaram mão única há pouco tempo e a sinalização ficou muito confusa. Tem rua que achamos que é mão única, mas transita gente nas duas direções. A rotatória [Trevo Ivo Alves, que fica entre os bairros Planalto, Tubalina e Santo Inácio] é um caos”, afirmou Oliveira.

Este trevo, que dá acesso à rua do Carpinteiro, às rodovias MGC-497 e MGC-455, à avenida Dr. Arnaldo Godoy de Souza e à avenida Getúlio Vargas está com a sinalização praticamente apagada e também gera transtornos e riscos aos motoristas e pedestres, segundo os moradores.


Pintura no asfalto em cruzamento no bairro Marta Helena está totalmente apagada | Foto: Mariely Dalmônica

De acordo com Divonei Gonçalves, secretário de Trânsito e Transportes, foram contratadas três equipes de pintura para refazer a sinalização nos bairros da cidade. O trabalho começou há cerca de três meses. “É lamentável, a cidade está precisando de sinalização em vários bairros, e nós estamos correndo atrás disso. Começamos pelas regiões mais críticas, alguns locais nem tinham sinalização, como o Residencial Pequis, por exemplo. Já passamos pela avenida Afonso Pena, pela avenida João Pinheiro e estamos terminando a avenida Brasil”, disse o secretário.

Recentemente, a área central da cidade também recebeu recapeamento. “A situação estava muito precária no Centro e não restou nenhuma sinalização. Nesses últimos meses já fizemos 16 mil m². É um trabalho contínuo e ele é feito à noite na maioria dos lugares para não interferir no trânsito”, afirmou Gonçalves. Ainda segundo o secretário, não há previsão para o término desses trabalhos, mas a ideia é reforçar a sinalização de toda a cidade até o início do próximo ano.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »