31/07/2018 às 07h51min - Atualizada em 31/07/2018 às 07h51min

Ação humana é responsável por maior parte dos incêndios

Corpo de Bombeiros informou que há ações que fogem do controle e as que são intencionais

CAROLINA PORTILHO | REPÓRTER
Foto: Núbia Mota
O período de estiagem, entre maio e setembro, é propício para grandes queimadas. Nas últimas semanas, em Uberlândia, o fogo causou vários estragos em áreas de preservação, em vegetações às margens de rodovia e em lotes vagos. Apesar das condições naturais do tempo favoráveis à propagação de queimadas, a maior parte dos registros tem origem na ação humana.

“Infelizmente esse dado é real. Quase 100% das queimadas em dias secos e quentes são provocadas pelo homem, seja por negligência, imprudência ou até mesmo criminoso”, destacou o tenente Laurence, do Corpo de Bombeiros.

Entre as ocorrências de grande proporção registradas na cidade, duas foram no último dia 23 em uma área de reflorestamento. O primeiro foco atingiu aproximadamente 493,5 mil m² de uma área situada na Rua Will Cargil, próxima ao pátio de estacionamento de uma empresa, e se estendeu até o limite da pista de rolagem, chegando à avenida Antônio Thomas Ferreira Rezende, no Distrito Industrial. O segundo foi às margens da Rodovia Anel Viário Norte atingindo cerca de 261 mil m² de uma área próxima a uma empresa de móveis.

Os dados são do Corpo de Bombeiros, que também atendeu um chamado no sábado (28) que afetou cerca de três hectares de área de conservação situada no Jardim Botânico. A ocorrência só foi finalizada no dia seguinte, sendo usados aproximadamente mil litros de água para controlar o incêndio.

No Boletim Informativo dos Bombeiros, só no último fim de semana foram 22 registros de incêndios e explosões, e as queimadas estão dentro desses dados considerados alarmantes pela corporação. Segundo o tenente Laurence, os incêndios naturais são comuns na primavera e no verão, por exemplo, quando há ocorrência de raios.

“Queimadas naturais só ocorrem em épocas de chuvas, que não é o caso. Nesse período de tempo seco as principais ações do ser humano acabam fugindo do controle, como queimar folhas ou lixo e não apagar o fogo corretamente, que acaba se propagando e causando grandes incêndios. E tem ainda os casos intencionais, que são propositalmente provocados”.
 
Ações paralelas
 
Desde 2016, o Corpo de Bombeiros e a Prefeitura têm feito uma ação conjunta em lotes vagos da cidade. Segundo Laurence, os locais são vistoriados e observados pontos, como altura da vegetação, acúmulo de lixo, se é cercado e se tem calçada. Caso alguma irregularidade seja encontrada o dono do terreno é acionado para tomar as devidas providências. No caso do mato, a intenção é evitar as queimadas.

Na área rural, há um trabalho de conscientização sobre a maneira correta de usar o fogo, evitando que a propação atinja grandes áreas. “A pessoa não tem noção ao usar um combustível para queimar um lixo nesse tempo seco. A velocidade com que o fogo se alastra é muito rápida e foge do controle, deixando o local queimando por vários dias. É importante ter consciência, pois todos sofrem com isso, a população e o nosso meio ambiente”, enfatizou Laurence.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »