18/07/2018 às 11h55min - Atualizada em 18/07/2018 às 11h55min

Consórcio de drogas com sede em Uberlândia é desarticulado pela Ficco

Mais 5 toneladas de maconha, skunk e haxixe foram apreendidas em Dourados (MS), além dos 770 kg encontrados em carro em Uberlândia

NÚBIA MOTA | REPÓRTER
Caminhão de mudanças com 5 toneladas de maconha estava vindo de Dourados para Uberlândia (Divulgação)
Os 770 kg de maconha e skunk apreendidos na MG-497, em um carro, na terça-feira (17), a cerca de 15 km da zona urbana de Uberlândia, pertencia a uma organização criminosa, que iria distribuir a droga na cidade, região, Belo Horizonte e nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Além do motorista do veículo, outros quatro criminosos foram presos em Dourados (MS), com mais 5 toneladas dos mesmos tipos de droga. Eles foram pegos em flagrante, enquanto tentavam despachar o material ilícito para Uberlândia, em um caminhão de mudanças de uma empresa especializada.

O esquema foi desarticulado depois de 6 meses de investigações, em um trabalho conjunto das polícias que formam a Força Tarefa de Combate ao Crime Organizado (Ficco). Segundo o delegado da Polícia Federal (PF), Carlos D’ângelo, os criminosos trabalhavam em um espécie de consórcio, a fim de dividir os custos com a compra da droga e a logística do transporte. “Traficantes do Rio, São Paulo e Belo Horizonte encomendavam a maconha, o haxixe e o skunk. Esse grupo de Uberlândia ia até o Mato Grosso do Sul, comprava dos traficantes de lá e trazia para cá, de onde era distribuído para quem encomendou. O armazenamento geralmente era na zona rural de Uberlândia”, disse D’ângelo.

Além do motorista de 24 anos que trazia os 770 kg de droga para Uberlândia em um carro de passeio roubado, um Kia Cerato, os integrantes da Ficco ainda prenderam outras 4 pessoas em Dourados (MS), enquanto carregavam um caminhão com mais 5 toneladas de entorpecentes. Uma transportadora foi contratada para trazer uma mudança para Uberlândia, mas entre os móveis, estavam caixas de maconha, skunk e haxixe. De acordo a investigação, o motorista e um dos chapas sabiam da existência da droga, mas a empresa não tem envolvimento no crime.  Dois cabeças do grupo, que são de Uberlândia, foram pegos durante este flagrante. Além deles, outras 7 pessoas ligadas a mesma quadrilha foram presas em outras ocorrências de tráfico, dando um total de 12 prisões em sete flagrantes, a maioria em Uberlândia, e mais de 10 toneladas de drogas apreendidas.

Segundo a inspetora Jane Santos, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma equipe de policiais de Uberlândia foram para Dourados (MS) e junto de outros homens da mesma corporação de lá acompanharam a prisões dos quatro homens que carregavam o caminhão de mudanças com droga. “A transportadora foi contratada para trazer a mudança para Uberlândia, tinham alguns móveis antigos para disfarçar, mas a Ficco já tinha repassado a informação de que havia droga. Eles não resistiram à prisão”, afirmou Jane.

De acordo com o tenente Vitor Pereira, da Polícia Militar (PM), que participou da prisão do motorista do veículo interceptado entre a divisa de Uberlândia e Prata, os 770 kg de maconha e skunk estavam distribuídos em todas as partes do carro, sem nenhum tipo de disfarce. “O carro é roubado e estava abarrotado de droga. Como estava muito pesado, impossibilitou qualquer tentativa de fuga”. disse.

O jovem preso já tinha passagem por tráfico de drogas e clonagem de veículos e está detido no Presídio Jacy de Assis. Os outros 4 criminosos, pegos em Dourados, permanecem naquela cidade.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »