22/06/2018 às 08h18min - Atualizada em 22/06/2018 às 08h18min

Mamonas Assassinas chegam ao Teatro Municipal

Neste sábado, faz 23 anos que o quarteto de Guarulhos lançou o disco homônimo

ADREANA OLIVEIRA - EDITORA
O musical estreou em março de 2016 e esta deve ser a última temporada (Divulgação)
É possível que, se fosse lançado hoje, o CD homônimo dos Mamonas Assassinas viesse acompanhado de uma tarja preta e uma advertência aos pais sobre conteúdo impróprio para menores. Dificilmente teria espaço no rádio ou na TV. “Mamonas Assassinas” completa 23 anos no domingo, coincidentemente dia 23. O uberlandense pode relembrar os sucessos desse disco neste final de semana em “Mamonas – O Musical”, em cartaz no Teatro Municipal, com sessões de amanhã (23) a segunda-feira (25).

O quinteto de Guarulhos (SP) teve uma carreira de sucesso meteórica, interrompida por um acidente aéreo menos de um ano depois do lançamento do primeiro disco. O Brasil que riu com os Mamonas chorou a perda. A tragédia não é o mote do espetáculo que traz a explícita teatralidade e musicalidade do rock cômico dos Mamonas ao contar sua história.

O musical estreou em março de 2016, ano que marcou os 20 anos da tragédia e esta deve ser sua última temporada. Nascido em Fortaleza (CE), o ator e cantor Rafael Aragão tinha 10 anos quando os Mamonas Assassinas ganharam as rádios. “Me lembro que os ouvi pela primeira vez pelo rádio do carro do vizinho. Meu pai odiou as letras e me proibiu de ouvir. Em algumas semanas ele chegou em casa com o CD comprado nas Lojas Americanas e me entregou”, recorda o ator que vive o vocalista Dinho. O pai dele já assistiu ao espetáculo cinco vezes e verá mais três antes do fim da turnê, que já atingiu, segundo a produção, mais de 80 mil pessoas.

Para Rafael, a equipe de 17 pessoas envolvidas nesse musical encara a empreitada com responsabilidade. “Fazemos uma grande homenagem aos Mamonas Assassinas. Eles foram influência para muita gente, emocionaram  o Brasil que ganharam com irreverência e até hoje são muito amados”, disse o ator.

Ele conta que no início a produção foi vista com desconfiança, mas depois da estreia conquistou o público. “Não temos a pretensão de ser os Mamonas mas fazemos o melhor para representá-los. Nunca assisti a um show, mas hoje posso dizer que sinto a presença deles em todos os shows. Até converso com o Dinho”, brinca.

Com direção de José Possi Neto e texto de Walter Daguerre, o espetáculo não traz uma dramaturgia linear, mas irreverente. Walter comenta que é como se Dinho, Bento, Samuel, Júlio e Sérgio contassem a trajetória do grupo desde o tempo em que eram desconhecidos e tentavam a carreira como banda Utopia. “Tenho dois momentos favoritos no espetáculo. O primeiro é quando cantamos ‘Robocop Gay’ por conta da energia da galera...fico possuído. A outra é a cena que o responsável pelo ginásio Tom Mesão disse a Dinho que eles (Utopia) jamais se apresentariam em seu ginásio, que era para ‘os grandes’. Cinco anos depois os Mamonas foram convidados para se apresentar no ginásio, pararam Gruarulhos... e abriram o show como Utopia’”, conta Rafael.

O Mamonas Assassinas do musical, além de Rafael, conta com Jessé Scarpelini (Julio), Pedro Reis (Samuel), Arthur Ienzura (Sergio) e Reginaldo Sama (Bento). O produtor Rick Bonadio, o famoso Creuzebek, com fundamental importância na carreira dos Mamons, é vivido por Igor Miranda. A equipe que os acompanha é comprometida com o resultado que o espectador verá e ouvirá no palco e com certeza vai cantar junto “Vira-Vira”, “Robocop Gay”,  “Pelados em Santos”...
“Tivemos contato com os familiares que nos deram acesso a muitos objetos pessoais que nos proporcionaram um ambiente rico para viver cada um deles. E hoje, percebemos que toda a crítica que fazem em suas músicas quanto a homofobia, pobreza, corrupção são válidas”, disse Rafael para quem a principal mensagem que os meninos de Guarulhos deixaram é que nada é impossível.
 
SERVIÇO
O QUÊ: “Mamonas – O Musical”
QUANDO: amanhã (23), às 20h; domingo (24), às 19h; segunda-feira (18), às 10h30 e 15h
ONDE: Teatro Municipal de Uberlândia (Av. Rondon Pacheco, 7.070, Tibery)
CLASSIFICAÇÃO: 10 anos
INGRESSOS: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada) à venda na bilheteria do teatro e pelo site megabilheteria.com (com taxa de conveniência)
INFORMAÇÕES: 3236-1568
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »