15/06/2018 às 08h37min - Atualizada em 15/06/2018 às 08h37min

Se entregue à “Vastidão dos Mapas”

Exposição reúne mapas dos séculos 16 ao 18 em diálogo com obras de artistas contemporâneos

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Hoje você pode ter a ajuda de um mapa na palma da mão, quando quiser, a poucos cliques. Digita a localização e destino e lá está o seu caminho traçado. E os mapas, que há séculos acompanham os homens se ressignificam com o passar dos anos. A mostra “A Vastidão dos Mapas”, que abre para visitação hoje no Museu Universitário de Arte (MUnA), em Uberlândia, conta com um conjunto de mapas originais dos séculos 16 ao 18 do núcleo de cartografia da Coleção Santander Brasil  (10) que dialoga com obras contemporâneas que se relacionam com questões como o mapeamento do espaço, das fronteiras, dos deslocamentos e fluxos territoriais, econômicos, culturais e subjetivos. Ao todo, são aproximadamente 50 obras.

“Esse trabalho começou em uma exposição menor que fizemos em São Paulo. Na ocasião, entre as 1,5 mil obras da coleção Santander Brasil, conversamos e decidimos destacar os mapas e traçar um diálogo desse acervo com artistas contemporâneos. Os mapas sempre foram importantes nas discussões de fronteiras, na geopolítica, e buscamos a visão de artistas da atualidade desse território, dessas fronteiras”, disse Paola Sette, superintendente de marketing do Santander.

A mostra ganhou força com 20 artistas convidados e tem viajado pelo Brasil. Uberlândia é a terceira cidade a receber a exposição que passou por Curitiba e Salvador. “Faz parte da essência do Santander discutir prosperidade e cultura e debater isso. E discutir fronteiras é parte da evolução do pensamento humano”, afirmo Paola, que destaca obras do paulistano Vik Muniz. “É algo esteticamente bonito e você consegue ver mudanças do que estava fora do radar no século 16 e o que significa hoje para nós, como evoluímos na sociedade”, comentou.

O núcleo de cartografia da Coleção Santander Brasil é composto por mais de 70 mapas, a maioria representa o território brasileiro ou o continente americano. Formado a partir dos anos 1960, o acervo inclui mapas primorosos e raros produzidos pelos mais renomados cartógrafos europeus, principalmente holandeses e franceses.

A exposição ressalta o valor desse conjunto único da cartografia que integra a coleção, ao mesmo tempo em que revela um olhar em sintonia com o contemporâneo. Para o curador da mostra, Agnaldo Farias, o conjunto desses trabalhos oferece ao público um outro mapeamento, o da maleabilidade da linguagem.

SERVIÇO
O QUE: Exposição “A Vastidão dos Mapas”
ACERVO: arte contemporânea em diálogo com mapas da Coleção Santander Brasil
QUANDO: até 15 de setembro
ONDE: Museu Universitário de Arte (MUnA) - Praça Cícero Macedo, 309, Fundinho
VISITAÇÃO: segunda a quinta-feira das 8h30 às 18h30; sexta das 8h30 às 21h e sábado das 10h às 17h
ENTRADA FRANCA
INFORMAÇÕES: 3231-9121
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »