04/06/2018 às 11h49min - Atualizada em 04/06/2018 às 11h49min

Três ônibus foram queimados em segunda onda de ataques

VINÍCIUS LEMOS
DIVULGAÇÃO
A Polícia Militar (PM) e representantes das empresas do transporte coletivo de Uberlândia se reuniram na manhã dessa segunda-feira (4) para discutir ações e possíveis motivações dos ataques a ônibus e também e imóveis na cidade desde a tarde deste domingo (3). O ecoponto do bairro Guarani também foi alvo de bandidos, que queimaram parte do local. 

Três veículos foram incendiados e o motorista de outro carro conseguiu fugir antes que os bandidos conseguissem atear fogo. Uma pessoa foi presa. Os ataques também aconteceram em cidades vizinhas, como Uberaba, Araxá e uma série de outros Municípios mineiros.

Os ônibus destruídos foram abordados na Rua Esplendor do bairro Morumbi, na rua Cleone Cario Gomes do Segismundo Pereira e na rua Bento Faria, no Lagoinha. Os carros faziam as linhas, respectivamente, A236, A105 e A118. As abordagens foram parecidas, com os autores surpreendendo motoristas e com o pedido para que passageiros descessem dos veículos. Logo em seguida, com combustível, os criminosos colocaram fogo nos ônibus. Pelo menos no caso do bairro Lagoinha, a rede elétrica foi afetada, o que deixou parte da população sem energia.

Logo após o segundo ataque um homem de 39 anos foi preso, suspeito de participar da ação no bairro Segismundo. Três homens haviam sido vistos por uma equipe da PM correndo em direção a um matagal às margens da BR-050. Os militares fizeram o bloqueio ao local, inclusive com o uso do helicóptero da corporação, e depois de escurecer, um dos autores saiu do mato, atravessou a rodovia e veio a ser detido. O motorista do ônibus reconheceu o homem. Ele teria sido aquele que, ao abrir a porta do veículo, ameaçou o trabalhador e o mandou esvaziar o carro. O suspeito, segundo a polícia, mora em uma invasão próxima à rodovia, disse ser usuário de drogas e negou participação no ataque.

No bairro Monte Hebron, já durante a noite de domingo, um homem tentou invadir outro ônibus e tinha com ele um galão com gasolina. Porém, durante a tentativa, o motorista acelerou e o suspeito teria caído e deixado o galão dentro do veículo.
A PM fez escolta nas últimas linhas da noite no fim de semana e durante o início desta segunda, viaturas também acompanharam a coleta dos funcionários para o início do transporte.

Mais ataques

Ainda durante a madrugada desta segunda, parte do ecoponto do bairro Guarani foi destruída depois que vândalos incendiaram um cômodo com matérias recicláveis. Ninguém ficou ferido e a secretaria de Meio Ambiente informou por meio de nota que toma “as providências necessárias para restabelecer o funcionamento da unidade”. A PM ainda avalia a possibilidade de este ataque ter ligação com os demais na cidade.

Uma agência bancária na avenida Rondon Pacheco, na altura do bairro Santa Maria, também chegou a ser atacada, quando bandidos jogaram gasolina e tentaram colocar fogo em uma lixeira do local, com alguns papéis. O fogo, contudo, não se alastrou.
Linhas circularam normalmente

Apesar dos carros queimados, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro (Sindett) informou que não houve restrição na circulação das linhas afetadas, A236, A105 e A118. Em nota, a instituição manifestou indignação e repúdio aos novos atos criminosos. Ainda reiterou “que eventos assim causam não só sérios prejuízos financeiros às empresas, mas principalmente risco à integridade dos clientes e colaboradores do transporte de passageiros”. Além disso, as empresas pediram “o apoio da população para denunciar qualquer situação suspeita. Ainda reforçam que, neste momento, a participação da população na busca por esses vândalos é fundamental”.
Motivações

O comando da 9ª Região da Polícia Militar (RPM) informou que ainda é cedo para elaborar qualquer teoria que seja certa como motivação para os ataques. Existe a informação de que as ações em Minas Gerais sejam em retaliação à morte de sete homens que fariam parte de um bando que explodia caixas eletrônicos no Estado de Goiás. O caso aconteceu na cidade de Três Ranchos (GO), a cerca de 140 km de Uberlândia. Ainda no domingo, os suspeitos foram baleados em um tiroteio com a polícia, depois que militares encontraram o que seria uma base do grupo. A ligação entre os ataques e a ação policial goiana não foi confirmada nem descartada.

Segunda onda em 2018

Essa foi a segunda onda de ataques a ônibus e outros pontos da cidade. Ao todo, 14 veículos do transporte coletivo foram queimados desde abril, na soma entre os ataques deste domingo e os da primeira onda dos últimos dois meses. À época, 11 ônibus foram queimados total ou parcialmente. Uma clínica médica e uma estação do corredor da avenida João Naves de Ávila também foram atacadas em abril.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »