23/05/2018 às 18h45min - Atualizada em 23/05/2018 às 18h45min

Uberlândia registra 3ª morte por influenza

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
 
A Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais uma morte por Influenza A, o subtipo do vírus ainda não foi confirmado. Dois óbitos já haviam sido registrados no município: um registrado na rede privada e o outro na rede pública de saúde.

Mesmo com os óbitos, o que demonstra a circulação de vírus na cidade, grande parte do público alvo que deve ser vacinado contra a influenza, ainda não tomou a dose recomendada, o que representa uma preocupação para o poder público. “A vacina está disponível, mas temos dificuldade em atingir gestantes e crianças. As duas primeiras mortes que foram registradas estavam no grupo de risco”, afirmou Clauber Lourenço, coordenador da rede de Urgência e Emergência.

É certo que existem medidas de precaução para a doença. Mas, a maior proteção é a vacina, que leva de 10 a 15 dias para começar a oferecer real proteção contra a doença. Apenas 35% de crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade, e 35% de gestantes compareceram às salas de imunização. Até hoje, a Secretaria de Saúde informou que aplicou 95 mil doses, mas a população que deve ser imunizada é maior que 150 mil pessoas.

E há o alerta: o período de maior proliferação do vírus ainda não chegou. Ou seja, novos casos devem ser registrados nos próximos dias. “Temos vacinas em todas as salas de vacinação do município, e a campanha termina no dia 1º. Ainda dá tempo de se imunizar”, disse.

Hoje, Elivania Maria de Oliveira foi se imunizar por volta das 14h na Unidade de Atendimento Integrado (UAI) Planalto . “Vim me vacinar porque entro no grupo de risco, sou professora. Acabei de chegar e já recebi a dose, não precisei nem pegar fila”, disse.

MEDICAMENTO

Outra preocupação é baixo estoque em Uberlândia de tamiflu, o medicamento utilizado no tratamento da influenza. De acordo com a assessoria de comunicação da Superintendência Regional de Saúde (SRS), a previsão é que 3 mil comprimidos sejam entregues nesta quinta (24) pelo Estado. Mas devido à greve dos caminhoneiros, pode haver um atraso na entrega da medicação (Leia mais na página A3).  A SRS de Uberlândia informou ainda que a distribuição do tamiflu para os municípios é de responsabilidade do Ministério da Saúde.

Segundo Clauber Lourenço, quando há uma notificação de suspeita da doença, uma equipe da Vigilância Epidemiológica é acionada e vai até a unidade de atendimento fazer a orientação e a verificação da situação, independente da confirmação. A medicação é indicada em caso de suspeita de influenza. “O paciente é internado e orientado a não fazer contato com outras pessoas. Depois de 48h tomando a medicação, não há mais risco de transmissão”, disse.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »