28/04/2018 às 08h15min - Atualizada em 28/04/2018 às 08h15min

Hospital do Câncer fica sem remédio por causa de atraso de fornecedor

Pacientes têm de desembolsar até R$ 400 para comprar medicamento em farmácias locais

MARIELY DALMÔNICA | REPÓRTER
Sandra de Andrade segura cartela de Anastrozol comprada por R$ 200 em farmácia | Foto: Divulgação
 
Um medicamento usado para o tratamento do câncer de mama está em falta no Hospital do Câncer de Uberlândia desde o início deste mês. Pacientes estão comprando a caixa de Anastrozol com 30 comprimidos para se prevenirem, a custos que variam entre R$ 50 e R$ 432, na internet e em farmácias da cidade. Segundo a direção da unidade, a empresa que venceu o processo licitatório não entregou os medicamentos em tempo hábil e, por isso, foi acionada judicialmente.

A pensionista Sandra de Andrade tem 67 anos e começou a tomar o Anastrozol no final de 2016, após finalizar as sessões de quimioterapia e radioterapia para combater o câncer em uma das mamas. “Desde que comecei a tomar o medicamento, tive que comprar duas vezes. Paguei cerca de R$ 400 reais com desconto, e R$ 200 no mês passado”, afirmou.

Sandra já gasta cerca de R$ 100 com remédios por mês e mesmo com o valor alto do Anastrozol, não deixa de fazer a comprar. “Já vou providenciar outra caixa, estou com medo de não encontrar nas farmácias.”

Uma paciente, que não quis se identificar, toma o Anastrozol há cinco anos, e precisou comprar o medicamento pela terceira vez. “Quando pesquisei os preços nas farmácias daqui levei um susto. Procurei na internet e encontrei por valores bem mais em conta. Comprei por R$ 50 na semana passada”, disse.

Ontem, ao ligar na farmácia do Hospital do Câncer, a reportagem do Diário de Uberlândia ouviu uma mensagem automática dizendo que o medicamento ainda estava em falta. Por meio de nota, o Hospital de Clínicas de Uberlândia informou que realizou a compra do Anastrozol em dezembro do ano passado e que “a entrega, que deveria ser feita em até 30 dias, não foi realizada pela empresa que ganhou a licitação. O setor responsável já acionou judicialmente o fornecedor e a informação é que em torno de duas semanas o medicamento esteja disponível.”

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), por meio da Superintendência Regional de Saúde de Uberlândia (SRS), disse que o Anastrozol não faz parte da lista de medicamentos oncológicos que o Ministério da Saúde envia para distribuir aos hospitais. A SES-MG informou que “os estabelecimentos de saúde habilitados em Oncologia pelo Sistema Único de Saúde (SUS) são os responsáveis pelo fornecimento de medicamentos oncológicos que neles, livremente, se padronizam, adquirem e prescrevem."

Também por meio de nota, o Ministério da Saúde afirmou que “os hospitais do SUS habilitados em oncologia recebem mensalmente recursos federais para a compra e oferta de medicamentos. O valor já está incluso no total pago para a realização dos procedimentos ambulatoriais e hospitalares para o tratamento de câncer.”
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »