19/04/2018 às 05h17min - Atualizada em 19/04/2018 às 05h17min

Dia do Índio: o que existe por trás de um nome

Dois livros serão lançados hoje em Uberlândia sobre resistência indígena e topônimos tupi da região

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Lídia Meirelles é diretora do Museu do Índio e uma das autoras que participa do evento | Foto: Adreana Oliveira

Miraporanga é um dos distritos de Uberlândia. Mas você sabe o que significa este nome? De origem indígena, Mirá (gente, oriundo da língua geral amazônica) e Poranga (belo, bonito). Miraporanga, portanto, em tradução livre, é povo bonito. Esse é apenas um dos topônimos (nome de lugar) que você encontra no livro “Toponímia Tupi – da região de Uberlândia no Triângulo Mineiro (Ed. Edufu, 64 páginas) que será lançado hoje.

As autoras, Juliana Schroden e Lídia Meirelles escolheram o Dia do Índio para o lançamento da obra, que conta ainda com a participação de Benedito Prezia, que na ocasião lança o seu “História da Resistência Indígena – 500 anos de luta”.

“A ideia de produzir este livro surgiu há alguns anos, quando a Juliana ainda era estagiária aqui. Recebíamos muitas visitas de pessoas que queriam saber o significado dos nomes indígenas. O projeto ficou de lado por um tempo e foi concretizado agora com a participação do Prezi, um especialista no assunto”, conta Lídia Meirelles, diretora do Museu do Índio de Uberlândia.

A iniciativa é uma forma de valorizar e não deixar morrer essa cultura se perder no tempo. Em 2010 um embrião deste projeto, “topônimos indígenas e seus significados” foi reconhecido e com o Prêmio Nacional Darcy Ribeiro. Lídia mostra orgulhosa a publicação. “É importante sabermos mais sobre os nomes com os quais nos deparamos praticamente todos os dias. Dessa forma, no caso da cultura indígena, esses topônimos ganham ainda mais significado para a população ao seu redor”, comentou a autora.

MUSEU DO ÍNDIO

Em outubro o Museu do Índio vai completar 31 anos. Localizado na rua Vitalino Rezende do Carmo, 116, no bairro Santa Maria, o espaço abriga cerca de 2,5 mil peças de 80 grupos indígenas. “Se considerarmos que são aproximadamente 254 grupos temos aqui representados um terço deles”, comenta Lídia.

O espaço está aberto para visitação de segunda a sexta-feira e visitas em grupos podem ser agendadas por telefone.
 
SERVIÇO

O QUE: Lançamento dos livros “História da Resistência Indígena – 500 anos de luta” e “Toponímia Tupi da região de Uberlândia no Triângulo Mineiro”
QUEM: Benedito Prezia, Juliana Schroden e Lídia Meirelles
QUANDO: Hoje, às 19h
LOCAL: Auditório 5OB – Campus Santa Mônica da UFU
ENTRADA FRANCA
MUSEU DO ÍNDIO: visitação das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30 de segunda a sexta-feira. Grupos e escolas podem agendar visitas
INFORMAÇÕES: 3236-3707
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »